Posted 21/03/2013 by Daniel Pires in Business FC
 
 

Deloitte Football Money League 2011/2012. 2º – FC Barcelona.

Deloitte Football Money League 2011/2012. 2º - FC Barcelona
Deloitte Football Money League 2011/2012. 2º - FC Barcelona

O

FC Barcelona é, a exemplo das quatro épocas anteriores, o segundo clube do Mundo com mais receitas geradas. Sempre atrás do Real Madrid, os dois grandes clubes espanhóis beneficiam muito do contrato assinado com a Mediapro sobre a gestão dos direitos televisivos, sendo esta uma situação que é claramente diferenciadora na questão da capacidade de adquirir receita aquém dos outros clubes.

Também o Barça aumentou as suas receitas de 2010/2011 para 2011/2012 em 7%, tendo encaixado cerca de 483 M€, consumados na conquista da Taça do Rei, da Supertaça Espanhola e do Campeonato do Mundo de Clubes, fechando assim a epopeia de Pep Guardiola como treinador do clube, ao atingir o 14º troféu, num total de 18 possíveis.

A diferença de 30 milhões de euros entre o clube catalão e o Real Madrid é difícil de diminuir, apesar do Barcelona, ao longo dos anos, ter vindo a melhorar a sua percepção global e mundial no que ao futebol diz respeito, com a conquista dos vários títulos da era Guardiola. O próprio reconhecimento de Leo Messi como melhor jogador do Mundo tem catapultado o nome do clube da cidade condal para patamares que ainda não tinha atingido, mas, mesmo assim, a diferença de valores de receitas continua praticamente o mesmo (entre os 30 e os 40 M€) ao longo destes últimos 5 anos.

 
Em termos gerais, a distribuição dos valores de receitas foi o seguinte:

– Merchandising – 186,9 M€

– Bilheteira – 116,3 M€

– Direitos TV – 179,8 M€

 
A parte de merchandising foi a que mais cresceu nos últimos anos no Barcelona. Só nos últimos dois houve um crescimento de cerca de 53% e, na a última época, cerca de 30,6 milhões de euros contribuíram para que esta parte das receitas fosse das mais lucrativas do clube catalão. Não é de espantar que o recente acordo com o Qatar (no valor de 30 milhões de euros anuais), onde o nome da Qatar Foundation é substituído pelo nome da Qatar Airways, teve o seu enorme peso. Fora isso, toda a marca Barcelona é muito bem aproveitada, não só na capital da Catalunha, mas também em países onde a marca é extremamente conhecida e onde vai nas suas excursões de pré-época. Lembro-me de que, em 2007, foi-me dito na altura pelo director de Marketing do clube, que o Barça cobrava, só para fazer um jogo amigável, cerca de 2 milhões de euros, fora o restante gasto com deslocações, hotéis e afins. Com o manancial de títulos que conquistou entretanto, esse valor deve ter aumentado substancialmente, entrando assim também nestas contas do merchandising.

No que à bilheteira diz respeito, também houve um aumento de 5%, sendo agora, na lista da Deloitte, o quarto clube com maior valor de bilheteira. Apesar de ter disputado o mesmo número de jogos em casa do que na época anterior, o aumento dos preços dos bilhetes é a razão plausível para que esse aumento de mais 5 milhões de euros tenha acontecido, uma vez que o número médio de assistência em Camp Nou diminuiu para os 75,069 espectadores (na época anterior tinha sido de 79,000).

Quanto aos Direitos de TV, houve um ligeiro decréscimo de 3,9 milhões de euros, muito em parte devido à saída nas meias-finais da Champions League, o que representa um menor encaixe financeiro por parte da UEFA. Só em competições europeias, foram cerca de 11 milhões de euros a menos. Conseguiram fazer um encaixe maior nas competições nacionais (como é o caso da Taça).

A diferença, já acima referida, de 30 milhões de euros para o Real Madrid poderá ser reduzida este ano, caso o Barça vá longe na Champions League, uma vez que a conquista da Liga Espanhola está praticamente garantida. Se, entretanto, continuar a aumentar a parte de merchandising ao mesmo ritmo dos últimos dois anos, então teremos uma redução ainda maior. Tudo estará dependente do que o resto da época do Barcelona trará. Esperemos para ver.

 
foto de abertura © pelauts.com


Daniel Pires

 
35 Anos. Produtor de TV. Pós-Graduado em Marketing Desportivo. Licenciado em Marketing. Apaixonado por futebol.