Posted 05/12/2011 by José Pedro Teixeira in Colunas
 
 

Destino: Brasileirão 2011, muito para além de Neymar.

Destino: Brasil, para além de Neymar
Destino: Brasil, para além de Neymar

T

erminada a temporada 2011 do futebol brasileiro, o Futebol Mundial escolheu 10 revelações do exercício e traçou-lhes o perfil. A elaboração desta lista foi definida tendo em conta os seguintes requisitos: (1) serem jogadores com menos de 21 anos e que ainda não se fixaram na Selecção AA brasileira; (2) a qualidade dos jogadores e a sua margem de progressão; (3) serem jogadores ainda não negociados no «Mercado de Inverno» de 2012.
 

Rafael (Santos)

 
21 anos | 1.85 | Guarda-Redes

2.000.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: –

Guarda-redes que, aos 21 anos, já é titular indiscutível do actual campeão da Libertadores, competição na qual foi totalista. A acrescentar a isto, no principal escalão do futebol brasileiro, já leva 64 jogos realizados ao longo de duas temporadas. Jogador de compleição física bastante aceitável para a posição, parece pronto para dar o salto no sentido de um campeonato de maior visibilidade. Tecnicamente, é um guardião ágil, óptimo entre-postes («bola corrida» e grandes penalidades) e fortíssimo a sair da baliza com bola pelo chão. A reposição de bola em jogo feita com a mão está a um nível interessante. Lê bem o jogo quando tem que decidir de que forma se iniciará o processo de transição defesa-ataque. Apesar de não ser um dos seus pontos-fortes, é competente a sair da baliza em resposta a bolas pelo ar. É um elemento que tem mostrado consistência exibicional de assinalar até ao momento, mesmo não contando com uma defesa particularmente sólida à sua frente. Pode melhorar a reposição de bola com o pé e o autoritarismo / comando de área que se pede a um guarda-redes em situações de bola parada defensiva. Jogador destro.

Mário Fernandes (Grêmio)

 
21 anos | 1.89 | Lateral Direito/Defesa Central

2.000.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Jorge Machado

Elemento destro utilizado a lateral direito, posição onde mostra alto rendimento, pode jogar a defesa central, dadas as suas características físicas e técnicas: o próprio jogador não esconde a sua predilecção por actuar no centro do sector defensivo. É dos mais promissores defesas brasileiros da actualidade. Alia uma invulgar compleição física para a posição a uma óptima mobilidade no terreno, tremenda capacidade de antecipação e capacidade no jogo aéreo (particularmente, defensivo, ainda que seja sempre um jogador a ter em conta nos cantos a favor). Apesar das fragilidades que já demonstrou, no passado, em relação à questão do cabeceamento, parece melhorar a cada jogo. Poderá ser uma opção interessante para encaixar numa defesa de 3 elementos. Jogador com boa resistência física, mostra-se capaz de actuar a um nível alto durante os 90 minutos. Bastante criterioso no momento de avançar no terreno, gosta de sair a jogar rápido e tem uma aptidão especial para as combinações, em progressão, ao primeiro toque. Normalmente, procura o médio interior do lado respectivo para o efeito. Quando pisa terrenos do extremo, sabe criar lances de perigo através de passes de ruptura, pelo chão, para os avançados. Pode, no entanto, melhorar no capítulo do cruzamento. Particularmente, na consistência do mesmo. Mercê do bom envolvimento ofensivo, vê-se, por vezes, com hipóteses de finalizar a 20-25 metros. Tem margem para aperfeiçoar remates de média e longa distância. Em termos pessoais, parece possuir algumas peculiaridades, dadas as polémicas em que se viu envolvido, ultimamente, em relação à Selecção Brasileira, pela qual recusou jogar por “motivos estritamente pessoais”.

Welder (Corinthians)

 
20 anos | 1.81 | Lateral Direito/Lateral Esquerdo

1.000.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Top Sport Group

Recém-chegado do Paulista de Jundiaí, aterrou no Pacaembú, a troco de 400 mil euros, com a difícil tarefa de discutir um lugar com o experiente Alessandro. É certo que beneficiou de uma lesão relativamente grave do colega, mas aproveitou bem as 26 oportunidades que teve para jogar no campeão brasileiro em 2011. Mostrou ser um jogador com grande índice de trabalho, personalidade e capacidade de lidar com a pressão. Tecnicamente, é um lateral (preferencialmente direito, podendo actuar à esquerda) dotado de boa capacidade técnica, aceleração e velocidade. A altura não é um argumento contra e faz mesmo uso do seu 1.81m para apoiar a equipa nas bolas paradas defensivas de forma muito razoável. Não evita o embate físico com adversários e, quando pressionado em cima, não tem qualquer problema em colocar bolas fora sem grande contemplação. Joga simples, mesmo que, quando chamado ao 1×1 ofensivo, raramente revele grandes problemas em ultrapassar o adversário. Sente-se confortável em ir à linha e tirar, daí, os seus cruzamentos, um movimento típico deste jogador. Embora seja destro, cruza com o pé esquerdo sem grandes dificuldades. Não remata muito, mas parece habilitado a fazê-lo com perigo para o adversário quando tem espaço para tal a 20-25 metros da baliza. Pode melhorar o tempo de entrada no desarme e a dinâmica de posicionamento nas transições ataque-defesa.

Juninho (Figueirense)

 
21 anos | 1.71 | Lateral Esquerdo

1.500.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Top Sport Group

Lateral esquerdo bastante precoce. Com 20 anos, das 38 partidas que levaram o Figueirense a ascender à Serie A, foi titular em 36 e, já com 21 anos, foi titular em 35 dos 38 jogos da surpreendente campanha do Figueirense no Brasileirão 2011. Jogador rápido – não só em corrida, mas também a pensar o jogo – tem grande apetência para subir no terreno, gostando de encarar os laterais adversários em situações de 1×1 ofensivo. A boa capacidade técnica permite-lhe levar vantagem em boa parte desses casos. Passe a média distância e cruzamentos (pé esquerdo) acima da média. Faz boa contenção defensiva, não se precipitando quando encara, defensivamente, jogadores mais dotados tecnicamente, no um para um. Deve melhorar a movimentação em transições ataque-defesa, já que é apanhado, com alguma frequência, em contra-pé nesta situação, por flectir demasiado para o centro do terreno. Da mesma forma, exige-se mais critério nas subidas no campo – ataca muito bem, mas nem sempre a equipa precisa que o faça. Parece ser um jogador que poderá demorar 1/2 temporadas a adaptar-se a 100 % ao futebol europeu, mas o seu futuro deverá passar pela transferência para um dos «grandes» do futebol brasileiro.

Rômulo (Vasco da Gama)

 
21 anos | 1.84 | Médio Defensivo

2.500.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Mondial Sport Management

54 jogos ao serviço do Vasco da Gama, ao longo de duas épocas, no Brasileirão convergirão, certamente, num dado estatístico que despertará, à partida, o interesse pela qualidade do jogador. Algo que será potenciado pela brilhante campanha dos vascaínos na presente edição da competição, terminada no 2º lugar. Concluindo os dados sobre presenças, os 90 minutos que disputou, na 2ª mão do SuperClássico, pela selecção brasileira. Ocupa a posição que, no Brasil, tem o nome de «volante» e que não deve ser, neste caso, traduzida à letra para trinco. Rômulo é bem mais do que um recuperador de bolas consistente. Com a confiança de uma aposta séria, tem futebol para ser um «6» do futebol europeu moderno. Tecnicamente, destaque para o número de vezes que consegue o desarme sem utilizar o carrinho e para a qualidade do jogo de marcação que tem exibido. Bom passe a curta e média distância, como também velocidade de raciocínio e leitura de jogo (embora nem sempre de execução) elevada, confere-lhe capacidade para participar de forma eficaz e consistente nas primeiras fases de construção de jogo. Não parece ter ordens do actual treinador para ensaiar um grande número de remates de longa distância, embora seja dono de um remate forte e, muitas vezes, colocado. O jogo aéreo é um dos seus pontos fortes, quer ofensivamente, quer defensivamente. Em situações de bola parada ofensiva em que a bola seja colocada, pelo ar, na área, mostra preferência pela presença no meio da área, embora seja capaz de atacar a bola ao primeiro poste muito eficazmente.

Wellington (São Paulo)

 
20 anos | 1.73 | Médio Centro/Médio Defensivo

3.000.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Mondial Sport Management

Uma das surpresas do São Paulo 2011. Depois de apenas 3 jogos a titular no Brasileirão 2010, somou 34 partidas na presente temporada. Apesar de ter começado, nas categorias de base, por actuar como médio ofensivo, foi a lateral direito improvisado que teve a sua primeira oportunidade na equipa sénior do São Paulo. Acabou por se fixar como médio-centro e é, neste momento, uma referência no miolo paulista. Franzino, ágil, com bom toque de bola, não se esconde do impacto físico com adversários. Jogador extremamente forte na marcação (podem ser-lhe conferidas tarefas de marcação homem a homem nas mais diversas formações – quer como trinco num meio-campo em losango, quer como médio-centro, em meio campo de 2 ou de 3, com ordens para cortar o espaço entre-linhas nas suas costas, normalmente explorado pelos «10» adversários. Se necessário, pode mesmo cair entre os centrais para anular o ponta de lança adversário. Passe de curta e média distância bastante consistente, preferencialmente com o pé direito. Sabe segurar a bola, ditando o tempo, se necessário. É um recuperador de bolas, por natureza, podendo, no entanto, pecar por excesso de impetuosidade nas tentativas de desarme. Possui margem de progressão no que toca ao remate de média e longa distância, sendo que já o faz, embora com pouca frequência, de forma competente.

Casemiro (São Paulo)

 
19 anos | 1.84 | Médio Centro/Médio Ofensivo/Médio Defensivo

7.500.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Joseph Lee

Forte, consistente e polivalente serão provavelmente as 3 palavras que melhor descrevem um dos mais cotados jovens brasileiros da actualidade. Mesmo tendo sido pedra fundamental da Selecção brasileira Sub-20 no Mundial da Colômbia, o que o afastou durante mais de um mês da competição interna, terminou a temporada com 4 golos em 21 jogos no Brasileirão 2011. A sua polivalência confere-lhe aptidão para actuar nas mais diversas posições: desde interior mais criativo ou médio ofensivo a defesa central, passando por posicionamentos no miolo com características mais defensivas. Tudo isto, torna-o num jogador que se enquadra com facilidade em sistemas que incorporem 2, 3, 4 ou mesmo 5 médios. Quando lhe é pedido que seja uma referência na construção ofensiva, fá-lo com relativa facilidade. É um elemento com excelente leitura de jogo que, aliado à boa qualidade de passe de curta, média e longa distância, o fazem um jogador-alvo para qualquer adversário. Também o remate é acima da média, preferencialmente com o pé direito, embora o consiga fazer com o pé esquerdo. Fá-lo com enorme facilidade, mercê do bom sentido de baliza. É uma referência no jogo aéreo ofensivo da equipa. Apesar dos cerca de 80 quilos, apresenta índices físicos, até ao momento, perfeitamente irrepreensíveis. Defensivamente, é um bom recuperador de bolas e tem uma capacidade de marcação muito competente. Parece ser já, aos 19 anos, um jogador pronto para dar o salto para o futebol europeu – eventualmente, com passagem directa para um campeonato do Top 3 (Espanha, Inglaterra e Itália).

Lucas (São Paulo)

 
19 anos | 1.72 | Médio Ofensivo/Médio Ala/Extremo

10.000.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: MJF PUBLICIDADE E PROMOÇÕES

Extremo (mais confortável à direita) que possui características para que, eventualmente, se possa tentar colocá-lo a actuar mais à frente no terreno de jogo, mostra-se móvel, veloz, fisicamente imponente, características que fazem dele um caso sério no futebol brasileiro. Autor de 9 golos no Brasileirão 2011, Lucas é uma das principais referências ofensivas do tricolor Paulista e mostra-se particularmente confortável em formações que, em momento de transição e organização ofensiva, privilegiem o jogo pelas alas. Nessa situação, é um jogador altamente imprevisível, pois possui uma tremenda capacidade para realizar diagonais em direcção à baliza, na sequência das quais consegue excelentes passes de ruptura para as costas da defesa ou, de forma igualmente notável, remates de média-curta distância, à baliza. Em oposição aos movimentos diagonais, a capacidade de ir à linha e tirar cruzamentos perigosos potencia, ao máximo, a sua imprevisibilidade em processo ofensivo. Desequilibrador no um para um, revela também argumentos no jogo aéreo ofensivo. Defensivamente, pode melhorar a acção de pressão (particularmente quando a equipa necessita de realizar bloco baixo/muito baixo) e o desarme. Não parece precisar de grande adaptação ao futebol europeu, embora uma passagem por um campeonato de grau de competitividade médio-alto, em primeira instância, pudesse ajudar a que se tornasse uma aposta verdadeiramente segura para clubes de topo Mundial.

Óscar (Internacional)

 
20 anos | 1.79 | Médio Ofensivo/Médio Ala/Extremo

8.000.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Giuliano Bertolucci

Jogador relativamente versátil (pode actuar em quase todas as posições à frente da linha de meio-campo), a sua dificuldade em colocar intensidade no jogo aliada à boa capacidade de definição de lances e à excelente técnica que possui, tornam-no, preferencialmente, num extremo, preferencialmente num sistema de 4x3x3 ou 4x2x3x1, à frente dos centro-campistas e com liberdade para procurar espaços de finalização após movimentos diagonais. A defender, é o extremo-tipo do futebol brasileiro. Do pouco pressing que faz, este raramente resulta na recuperação de bola (aspecto a trabalhar, bem como a técnica de desarme, caso se queira tornar um jogador mais apetecido na alta competição europeia). Em termos de jogo aéreo, também não poderá ser tido em conta como uma opção para bolas paradas defensivas, dada a sua ainda imatura capacidade de posicionamento defensivo. Ofensivamente, é um elemento extremamente forte em lances de transição rápida (contra-ataques), dada a já referida e notável habilidade para definir os lances de ataque com passes incisivos ou remates de média-curta distância. Não é o mais forte dos extremos brasileiros no capítulo do um para um, por possuir alguma limitação no drible sob pressão alta. Combinando o seu remate colocado, óptima noção de baliza e boa leitura de jogo (sabe explorar defesas em linha), pode, em caso de necessidade, ser uma opção para jogar como avançado ou mesmo, em situações de extrema necessidade, como ponta-de-lança. 10 golos em 26 jogos no Brasileirão 2011 serão, certamente, argumentos de suporte a esta hipótese posicional. Refira-se ainda a boa, embora nem sempre imprevisível, movimentação sem bola, que facilita a procura de linhas de passe por parte do portador da bola e a sua tendência para jogar em espaços curtos. Embora o faça de forma satisfatória, é relativamente raro observar o jogador a fazer passes a toda a largura do campo, «abrindo» jogo.

Leandro (Grêmio)

 
18 anos | 1.75 | Avançado/Extremo

750.000 € (avaliação transfermarkt) | Agente: Marcelo Serafini

O mais novo dos 10 jogadores aqui apresentados. Apesar de ainda não ser um titular indiscutível do Grêmio de Porto Alegre, é, certamente, o mais promissor avançado do estado do Rio Grande do Sul. Explodiu no Campeonato Gaúcho 2011, no qual apontou notáveis 7 golos em 12 jogos (7 deles como titular), mas no Brasileirão 2011 apenas apontou 1 golo em 22 jogos (10 deles como titular). Avançado de grande mobilidade, recorre, com enorme frequência, a movimentos diagonais sem bola, quer de fora para dentro, quer de dentro para fora, sempre na procura da criação de uma linha de passe que desorganize a defesa adversário. Posto isto, fica claro que é um jogador ideal para explorar as costas de defesas subidas e não muito rápidas. A sua boa capacidade de recepção de bola confere-lhe um perigo adicional, já que o portador da bola pode jogar a bola pelo chão, a meia altura ou «em balão» sem condicionar a eficácia do movimento. Forte no 1×1 ofensivo, reage bem a marcações cerradas quando o adversário não possui uma capacidade de antecipação fora do vulgar. Pode trabalhar na capacidade de finalizar com o pé esquerdo para se tornar num avançado verdadeiramente completo. O Gaúchão e o Brasileirão 2012 poderão ser decisivos no processo de evolução e maturação do jogador.

 
foto de abertura © esporte.uol.com.br


José Pedro Teixeira

 
Estudante de Medicina, Treinador-Adjunto do U. A. Povoense (sub-19), Colaborador da Wyscout.