Escócia 2008/09

Rangers
Rangers

Balanço

D

epois de quatro anos de jejum de títulos nacionais, o Rangers regressou ao topo da Premier League escocesa, impedindo o arqui-rival Celtic de alcançar o tetra, na sequência de uma temporada que ficou marcada, mais uma vez, pelo tremendo desequilíbrio de forças entre o duo de Glasgow e os restantes contendores, o que tem vindo a promover um cada vez maior debate sobre o esgotamento do actual modelo competitivo do campeonato. O entusiasmante duelo pelo título prolongou-se, desta vez, até à última jornada da prova, com o Rangers a confirmar a conquista da Liga com um triunfo (3-0) na deslocação ao terreno do Dundee United, numa partida em que o português Pedro Mendes, uma das figuras de proa do novo campeão, marcou um dos golos. Um desfecho que contrariou a lógica da temporada, já que o Celtic esteve mais de dois terços da prova na liderança, desperdiçando uma vantagem que chegou a ser de 7 pontos sobre os «Gers», que tiraram partido de uma espectacular recta final em que somaram 31 pontos em 33 possíveis. No entanto, o empate concedido na deslocação ao terreno do Hibernian, na 36ª jornada – 3ª da fase final -, quase colocou a sensacional recuperação em risco, com o Celtic a resgatar a liderança que perdera na jornada anterior, após ser derrotado pelo Rangers em Ibrox, graças a um golo solitário do norte irlandês Steven Davis. Só que dois empates a zero nas duas jornadas finais, diante de Hibernian (fora) e Hearts (casa), afastariam definitivamente os «Bhoys» do quarto título escocês consecutivo, o que levou o técnico Gordon Strachan a demitir-se. O domínio azul da temporada escocesa seria confirmado com o triunfo dos Rangers na Taça da Escócia, graças a uma vitória magra sobre o Falkirk (1-0), que valeu a primeira «dobradinha» dos «Gers» desde 2002/03.

 

Classificação:

 
Fase Regular

 1.Celtic               33 22  8  3  75-30  74
 2.Rangers              33 22  7  4  68-26  73
 3.Heart of Midlothian  33 15  9  9  37-34  54
 4.Dundee United        33 12 13  8  43-40  49
 5.Aberdeen             33 13  9 11  36-33  48
 6.Hibernian            33 10 12 11  38-41  42
 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
 7.Motherwell           33 11  8 14  36-44  41
 8.Kilmarnock           33  9  7 17  31-43  34
 9.Saint Mirren         33  8 10 15  28-44  34
10.Hamilton Academical  33 10  4 19  26-47  34
11.Inverness C. T.      33  9  5 19  32-52  32
12.Falkirk              33  6 10 17  32-48  28

Notas:

– O quadro competitivo da Liga escocesa compreende uma fase regular a 3 voltas. Depois, os clubes são divididos em 2 grupos: os clubes entre o 1º e o 6º lugar disputam o playoff do título, mantendo os pontos da primeira fase da competição, apenas a uma volta; os clubes entre o 7º e o 12º lugar disputam o playoff da despromoção, mantendo os pontos da primeira fase da competição, apenas a uma volta. O clube pior classificado desce à 2ª Divisão.

 
Fase Final

 
Título

 1.Rangers              38 26  8  4  77-28  86  Campeão; Liga Campeões (fase grupos)
 2.Celtic               38 24 10  4  80-33  82  Liga Campeões (3ªpré)
 3.Heart of Midlothian  38 16 11 11  40-37  59  Liga Europa (Eliminatória de acesso)
 4.Aberdeen             38 14 11 13  41-40  53  Liga Europa (3ªpré)
 5.Dundee United        38 13 14 11  47-50  53
 6.Hibernian            38 11 14 13  42-46  47

Manutenção

 7.Motherwell           38 13  9 16  46-51  48  Liga Europa (1ªpré – via Fair-Play)
 8.Kilmarnock           38 12  8 18  38-48  44
 9.Hamilton Academical  38 12  5 21  30-53  41
10.Falkirk              38  9 11 18  37-52  38  Liga Europa (2ªpré)
11.Saint Mirren         38  9 10 19  33-52  37
----------------------------------------------
12.Inverness C. T.      38 10  7 21  37-58  37  Despromovido

 

Quem Subiu:

Saint Johnstone.

 

Melhores Marcadores

Kris BOYD (Rangers), 27
Scott MCDONALD (Celtic), 16
Georgios SAMARAS (Celtic), 15
David CLARKSON (Motherwell), 13
Derek RIORDAN (Hibernian), 12
Steven FLETCHER (Hibernian), 11
John SUTTON (Motherwell), 10
Kenny MILLER (Rangers), 10
Andy DORMAN (St.Mirren), 10
Lee MILLER (Aberdeen), 10
Francisco SANDAZA (Dundee United), 10
Chris PORTER (Motherwell), 9
Shunsuke NAKAMURA (Celtic), 8
Colin NISH (Hibernian), 8
Steve LOVELL (Falkirk), 8
Kevin KYLE (Kilmarnock), 8
BRUNO AGUIAR (Hearts), 7
Scott ARFIELD (Falkirk), 7
Michael HIGDON (Falkirk), 7
Billy MEHMET (St.Mirren), 7

 

Dados Relevantes

O Campeão

17º título escocês do Glasgow Rangers desde que em 1976/77 o campeonato assumiu a designação de Premier Division. Se forem contabilizados todos os campeonatos escoceses desde 1891, o Rangers garantiu o seu 52º título nacional. Foi o regresso dos «Gers» às conquistas nacionais após quatro anos de jejum, impedindo o arqui-rival Celtic de alcançar o seu primeiro tetracampeonato desde a década de 60.

Clubes com mais títulos

Desde sempre (1891-2009): Glasgow Rangers (52), Celtic Glasgow (42), Heart of Midlothian, Hibernian e Aberdeen (4), Dumbarton (2).
Desde que assumiu a designação de Premier Division (1976-2009): Glasgow Rangers (17), Celtic Glasgow (13), Aberdeen (3), Dundee United (1).

Mais vitórias

Rangers (26).

Menos derrotas

Rangers e Celtic (4).

Melhor ataque

Celtic (80).

Melhor defesa

Rangers (28).

Menos empates

Hamilton Academical (5).

Mais empates

Hibernian e Dundee United (14).

Menos vitórias

Falkirk e Saint Mirren (9).

Mais derrotas

Inverness Caledonian Thistle e Hamilton Academical (21).

Pior ataque

Hamilton Academical (30).

Pior defesa

Inverness Caledonian Thistle (58).

Melhor equipa nos jogos em casa

Rangers (47). 15 vitórias, 2 empates e 2 derrotas.

Melhor equipa nos jogos fora de casa

Rangers (39). 11 vitórias, 6 empates e 2 derrotas.

Melhor série de vitórias consecutivas

Celtic (12). Entre a jornada 5 e a jornada 16.

Melhor série de jogos consecutivos sem perder

Celtic (12), em duas ocasiões. Entre a jornada 5 e a jornada 16 e entre a jornada 23 e a jornada 34.

Pior série de derrotas consecutivas

Inverness Caledonian Thistle (8). Entre a jornada 16 e a jornada 23.

Pior série de jogos consecutivos sem vencer

Saint Mirren e Kilmarnock (12).

Média de golos

2,4 golos por jogo. Representou um decréscimo de 0,3 em relação ao exercício anterior, em que a média de golos por jogo foi de 2,7.

Jogo com mais golos

Rangers – Hamilton Academical (7-1).

Maior goleada

Celtic – Saint Mirren (7-0).

Resultados mais comuns

1-0 (48), 2-1 (44), 2-0 e 1-1 (29), 0-0 (20).

Percentagem de jogadores escoceses utilizados na Liga

57,2%. Representou um acréscimo de 1% em relação à época anterior (56,2%).

Equipa mais nacional

Aberdeen – 78,2% de utilização de jogadores escoceses.

Equipa menos nacional

Hearts – 33,5% de utilização de jogadores escoceses.
4 das 12 equipas participantes na Liga ficaram abaixo dos 50% de utilização de jogadores escoceses.

Países mais representados (utilização em jogos da Liga)

Escócia (57,2%), Inglaterra (10,5%), Irlanda (5,6%), França (3,2%), Espanha (2,8%), Irlanda do Norte (2,3%) e Polónia (1,6%).

Portugueses

Reforço de peso do Rangers para o novo exercício, Pedro Mendes, que iniciou a temporada no Portsmouth, impôs-se, desde que chegou a Ibrox, a meio do mês de Agosto, como titular indiscutível. Segundo jogador mais utilizado pelos «Gers» ao longo da Liga, o internacional português protagonizou uma época de altíssimo nível, assumindo-se como a unidade de maior rendimento do sector intermediário do campeão. Também Bruno Aguiar, médio do Hearts, 3º classificado em 2008/09, esteve em plano de destaque. O futebolista formado nas escolas do Benfica, recuperado de uma grave lesão que o afastou durante 18 meses dos relvados, efectuou uma época muito consistente, o que despertou a cobiça de Celtic e Rangers no seu concurso. Menos feliz foi o terceiro português envolvido na principal competição escocesa: Filipe Morais, extremo, de 23 anos, que chegou a representar o Chelsea, iniciou a época no Hibernian, mas a falta de espaço levou-o, em Janeiro, ao Inverness, onde o seu contributo não foi suficiente para evitar a descida ao escalão secundário.

Os números dos jogadores portugueses na Liga escocesa 2008/09: Pedro Mendes (Rangers, 35 jogos/3 golos), Bruno Aguiar (Hearts, 26 jogos/7 golos) e Filipe Morais (Inverness, 12 jogos/3 golos e Hibernian, 2 jogos/0 golos).

Jogadores mais utilizados

– Lukasz Zaluska, Dundee United, 38 jogos, 3420 minutos de utilização (totalista)
– Jamie Langfield, Aberdeen, 38 jogos, 3382 minutos de utilização
– James McCarthy, Hamilton Academical, 38 jogos, 3222 minutos de utilização
– Dougie Imrie, Inverness, 38 jogos, 2936 minutos de utilização.

Jogadores com melhor média pontual

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 20 jogos)

– Steven Whittaker, Rangers, 2,417 (24 jogos)
– Majid Bougherra, Rangers, 2,323 (31 jogos)
– Nacho Novo, Rangers, 2,310 (29 jogos)
– Kenny Miller, Rangers, 2,300 (30 jogos).

O melhor marcador

Kris Boyd (Rangers)
27 golos em 35 partidas
18 golos apontados em casa e 9 em jogos extramuros
12 golos obtidos na primeira parte e 15 na segunda parte
Marcou golos em 18 partidas: onze golos foram «solitários», juntando ainda cinco «duplas» e duas «triplas», obtidas nas goleadas caseiras diante do Inverness (11ª jornada) e Hamilton Academical (17ª jornada).

Jogador com a melhor série de jogos consecutivos a marcar golos

Não aconteceu nenhuma série relevante.

Jogador mais eficaz

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 20 jogos)

Kris Boyd (Rangers), 1 golo a cada 106 minutos de utilização.

Melhor «joker» – jogador com mais golos como suplente utilizado

Nacho Novo (Rangers), 4 golos em 22 partidas como suplente utilizado.

Guarda-redes menos batido

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 20 jogos)

Allan McGregor (Rangers), 0,78 golos sofridos por jogo.

Guarda-redes com mais «balizas-virgens»

Artur Boruc (Celtic), 15 em 35 jogos.

Guarda-redes com melhor percentagem de «balizas-virgens»

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 20 jogos)

Allan McGregor (Rangers), 44,4% (12 em 27 jogos).

Guarda-redes que mais minutos esteve sem sofrer golos

Grzegorz Szamotulski (Hibernian), 437 minutos, numa série iniciada na 26ª jornada e que se prolongou até à 31ª jornada.

 

Taça

30-5-2009
Rangers, 1 (Nacho Novo, 46.)
Falkirk, 0

 

Taça da Liga

15-3-2009
Celtic, 2 (Darren O’Dea, 91., Aiden McGeady, 120., de grande penalidade)
Rangers, 0

[após prolongamento]

 

GLASGOW RANGERS: O CAMPEÃO

 
Estatísticas

Nac. Pos. Nome J G A V Min.
ESP M AARÓN Ñíguez 3 0 0 0 43
SCO M Charlie ADAM 9 0 2 0 568
SCO G Neil ALEXANDER 11 0 0 0 990
USA M DaMarcus BEASLEY 10 0 0 0 433
ALG D Majid BOUGHERRA 31 1 7 1 2.740
SCO A Kris BOYD 35 27 6 0 2.853
SCO D Kirk BROADFOOT 27 0 4 0 2.430
SCO M Chris BURKE 2 0 0 0 64
GAB A Daniel COUSIN 2 1 1 1 76
SCO D Christian DAILLY 9 0 2 0 699
FRA A Jean-Claude DARCHEVILLE 8 1 1 0 334
NIR M Steve DAVIS 34 6 1 0 3.060
USA M Maurice EDU 12 2 0 0 952
SCO M Barry FERGUSON 22 2 3 0 1.651
SCO M John FLECK 8 1 1 0 524
NIR MA Kyle LAFFERTY 25 6 6 0 1.146
SCO AM Rory LOY 1 0 0 0 35
SCO MD Lee McCULLOCH 12 0 3 0 841
SCO G Allan McGREGOR 27 0 1 0 2.430
SCO A Kenny MILLER 30 10 3 0 2.191
ESP AM NACHO NOVO 29 5 0 0 1.064
SCO A Steven NAISMITH 7 0 1 0 197
BIH D Sasa PAPAC 29 1 5 2 2.515
POR M PEDRO MENDES 35 3 6 0 3.079
SCO MD Steven SMITH 5 0 2 0 348
SCO M Kevin THOMSON 11 1 2 0 908
LTU A Andrius VELICKA 8 4 0 0 384
SCO D David WEIR 36 2 4 1 3.240
SCO DM Steven WHITTAKER 24 2 4 0 1.747

 
A Táctica

Rangers: táctica

 

Treinador Campeão

Walter Smith
foto © Getty Images

WALTER SMITH

Heptacampeão escocês na sua primeira passagem pelo Rangers como técnico principal, entre 1991 e 1998, regressou ao clube, em Janeiro de 2007, com o objectivo de contrariar a fase dominadora do Celtic a nível nacional. Se, em 2007/08, a aposta em juntar a conquista da Taça UEFA ao título escocês acabou por conduzir ao fracasso, em cima da linha de chegada, nas duas competições, a «dobradinha» em 2008/09 fez acalmar algumas vozes mais críticas que não lhe perdoaram a queda na pré-eliminatória da Liga dos Campeões diante do modesto Kaunas. Adepto do 4x4x2 clássico, com grande rigor táctico e elevada capacidade de pressão, recorreu, em algumas situações, ao 4x5x1, o seu principal modelo alternativo, abdicando de um avançado (Miller) para reforçar a zona central do sector intermediário.

 

Equipas-Tipo

[accordion title=”CELTIC“]

Celtic[/accordion]

[accordion title=”HEART OF MIDLOTHIAN (HEARTS)“]

Hearts[/accordion]

[accordion title=”ABERDEEN“]

Aberdeen[/accordion]

[accordion title=”DUNDEE UNITED“]

Dundee United[/accordion]

[accordion title=”HIBERNIAN“]

Hibernian[/accordion]

[accordion title=”MOTHERWELL“]

Motherwell[/accordion]

[accordion title=”KILMARNOCK“]

Kilmarnock[/accordion]

[accordion title=”HAMILTON ACADEMICAL“]

Hamilton Academical[/accordion]

[accordion title=”FALKIRK“]

Falkirk[/accordion]

[accordion title=”SAINT MIRREN“]

Saint Mirren[/accordion]

[accordion title=”INVERNESS CALEDONIAN THISTLE“]

Inverness CT[/accordion]

 

O «ONZE» DO ANO

Escócia 2008/09: onze do ano

 

Figuras da Época

Lukasz Zaluska
foto © Reuters

Lukasz Zaluska (Dundee United)

Andreas Hinkel
foto © dailymail.co.uk

Andreas Hinkel (Celtic Glasgow)

Gary Caldwell
foto © Getty Images

Gary Caldwell (Celtic Glasgow)

Lee Wilkie
foto © bbc.co.uk

Lee Wilkie (Dundee United)

Sasa Papac
foto © Getty Images

Sasa Papac (Glasgow Rangers)

Scott Brown
foto © Getty Images

Scott Brown (Celtic Glasgow)

Pedro Mendes
foto © Getty Images

Pedro Mendes (Glasgow Rangers)

James McCarthy
foto © Press Association

James McCarthy (Hamilton Academical)

Andrew Driver
foto © heartofmidlothian-mad.co.uk

Andrew Driver (Hearts)

Kris Boyd
foto © Getty Images

Kris Boyd (Glasgow Rangers)

Scott McDonald
foto © Getty Images

Scott McDonald (Celtic Glasgow)

 
foto de abertura © Getty Images


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.