Posted 01/09/2009 by Rui Malheiro in Observatório
 
 

Fábio Bilica

Fábio Bilica
Fábio Bilica

Fábio «Bilica» (Sivasspor K)

 

Perfil

2008/09

Central brasileiro com um trajecto tergiversante, recheado de polémicas, fracassos e dispensas, realizou, em 2008/09, a melhor época da sua carreira, assumindo um papel determinante na excelente carreira do Sivasspor na Liga turca, o que levou o Fenerbahçe a investir, em Julho de 2009, 2,5 milhões de euros na sua aquisição. Produto das escolas do Bahia, Fábio Bilica rumaria, com apenas 19 anos, ao futebol italiano, onde se fixou até 2004, passando, sem grande sucesso, por Veneza, Palermo, Brescia e Ancona, antes de regressar ao Brasil para participar na penosa descida à Série B do Grêmio de Porto Alegre, o que consolidou a sua imagem de «pé frio», já que participara em três descidas ao escalão secundária no futebol italiano, como também nas decepcionantes campanhas da Selecção brasileira Sub-20 no Mundial 1999 e dos Sub-23 nos Jogos Olímpicos de 2000. Com a sua cotação em baixa, passaria pelo segundo escalão do futebol alemão – Colónia – e francês – Istres -, como também voltaria a participar em mais uma despromoção, desta feita na Roménia, ao serviço do Universitatea Cluj, clube que representou em 2007/08, antes de encetar a sua experiência no futebol turco. Defesa central muito forte e disponível do ponto de vista físico, impõe-se, com grande naturalidade, nos duelos corpo a corpo com os avançados adversários, ainda que, em algumas situações, se revele excessivamente agressivo e contundente na abordagem aos lances, o que o torna num jogador faltoso e que costuma ver vários cartões. No entanto, trata-se de um central forte no capítulo do desarme e eficaz a jogar na antecipação, tanto pelo chão, isto apesar de revelar algumas dificuldades em velocidade, o que procura compensar com o seu sentido posicional e entrega inexcedível ao jogo, como também pelo ar, já que se trata de um jogador forte no futebol aéreo, principalmente em situação defensiva, pois do ponto de vista ofensivo revela-se mais forte a conquistar bolas do que como finalizador. Central de processos simples e práticos, não costuma adoptar acções de risco em zonas proibidas, o que não o impede de assumir, em algumas situações, a primeira fase de construção de jogo ofensivo, ainda que se revele mais eficaz no passe curto do que a praticar um estilo de jogo mais directo, isto apesar de possuir um pontapé forte, o que o torna num perigoso executante de livres directos.

 

Fábio Alves da Silva

Data de Nascimento: 04 – 01 – 1979
Nacionalidade: Brasil
Altura: 1.87
Peso: 80
Posição: Defesa Central
Internacional Olímpico pelo Brasil

ÉPOCA CLUBE JOGOS GOLOS
1997 Bahia
1998 Vitória
1998/99 Veneza 12 (0) 0
1999/00 Veneza 18 (0) 0
2000/01 Veneza 17 (1) 1
2001/02 Veneza 29 (0) 0
2002/03 Palermo 6 (6) 0
2002/03 Brescia 9 (2) 0
2003/04 Ancona 14 (2) 1
2004 Goiás 0 0
2004 Grêmio Porto Alegre 24 (0) 1
2004/05 FC Colónia 14 (1) 0
2005/06 Istres 15 (0) 0
2006/07 Istres 26 (0) 2
2007/08 Universitatea Cluj 17 (0) 0
2008/09 Sivasspor 33 (1) 1
2009/10 Fenerbahçe 27 (1) 0
2010/11 Fenerbahçe 6 (2) 0
2011/12 Fenerbahçe

 

Multimédia

 

 

foto © hamachiturk.com


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.