Inglaterra 2008/09: Manchester City

Manchester City
Manchester City

MANCHESTER CITY: 10º CLASSIFICADO

V

erdadeiro «rei do Mercado» em 2008/09, fruto de um investimento superior a 150 milhões de euros em aquisições, o Manchester City saiu da temporada como um dos grandes derrotados, já que o 10º lugar final na Liga e o fracasso nas competições a eliminar esteve muito longe de corresponder às enormes expectativas criadas com a chegada ao clube do seu novo proprietário: o sheik árabe Mansour bin Zayed Al Nahyan. Se o técnico Mark Hughes, que assumiu a sucessão do sueco Sven-Goran Eriksson, procurou acalmar os ânimos e baixar a fasquia, apontando o 7º lugar e a qualificação europeia como objectivos mínimos, a chegada do internacional brasileiro Robinho, em cima do fecho do «Mercado de Verão», elevou as expectativas, não só a nível interno, como também para a prestação na Taça UEFA. Protagonistas de um excelente trajecto em casa, apenas superado por Manchester United e Liverpool, os «Citizens» realizaram um percurso sofrível como visitantes, onde se mostraram pouco ambiciosos e acumularam exibições paupérrimas, o que fica bem expresso nos 11 pontos conquistados extramuros. Incapaz de penetrar em zona europeia e eliminado da Taça de Inglaterra e da Taça da Liga por emblemas das divisões inferiores nas rondas de estreia, o Manchester City centrou as suas atenções na Taça UEFA, mas depois de vencer o seu grupo e de eliminar os dinamarqueses do FC Copenhaga e Aalborg, não conseguiu ultrapassar o Hamburgo nos quartos-de-final da competição.

 
Estatísticas

Manchester City: estatísticas

 
Treinador

Manchester City: treinador

 
Equipa Tipo

Manchester City: táctica

 
As Figuras

Stephen Ireland
foto © Getty Images

Stephen Ireland

Robinho
foto © Reuters

Robinho

 
foto de abertura © Reuters


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.