Posted 22/02/2011 by Rui Malheiro in Especiais
 
 

Inter – Bayern: a histórica eliminatória da Taça UEFA 1988/89

1988BayernInter
1988BayernInter

M

unique, 23 de Novembro de 1988. 1ª mão dos oitavos de final da Taça UEFA 1988/89. Bayern e Inter, dois dos principais favoritos à conquista da competição, encontravam-se numa fase prematura da competição. Um demolidor Bayern – 4 vitórias e 15 golos marcados nos 4 jogos anteriores -, orientado tecnicamente por Jupp Heynckes, recebia o Inter, comandado pela «raposa» Giovanni Trapattoni, treinador que procurava repetir ao serviço dos «Nerazzurri», o sucesso obtido, entre 1976 e 1986, à frente da Juventus. Num jogo marcado pelo regresso de Matthäus e Brehme, as duas grandes figuras do Inter, a solo alemão, o Bayern puxou pelos galões e assumiu o domínio do jogo, comandado, desde trás, pelo fantástico Klaus Augenthaler, um líbero capaz de jogar a toda a largura do terreno. Só que o Inter, extremamente bem organizado do ponto de vista táctico, concedeu muito poucos espaços e «secou» o criativo Olaf Thon, obrigando o Bayern a procurar finalizações de fora da área, e, sobretudo, não escondeu, desde os primeiros segundos de jogo, a sua estratégia do ponto de vista ofensivo: surpreender o adversário através de rápidos contra-ataques, explorando a mobilidade e força física de Aldo Serena, a viver, nessa época, o melhor período da sua carreira. Seria Serena a adiantar o Inter, aos 60 minutos, no marcador, na conclusão de um contra-ataque lançado por Brehme e desviado pelo infeliz Grahammer. Só que o grande momento da partida ainda estava para chegar: numa altura em que o Bayern alargara o ataque com a entrada do internacional sueco Johnny Ekström, Nicola Berti partiu para uma histórica cavalgada da qual resultou um dos golos mais espectaculares de sempre da história das competições europeias. Era o 2-0 no Olym­piastadion e o sucesso da estratégia urdida por Trapattoni, que deixara no «banco» o avançado argentino Ramon Díaz, a atravessar um excelente momento de forma.

 

Multimédia: Bayern 0-2 Inter

 

 
Inter - Bayern, 1988

M

ilão, 7 de Dezembro de 1988. 2ª mão dos oitavos de final da Taça UEFA 1988/89. O Inter, com uma vantagem de dois golos do jogo da primeira mão, estava com pé e meio nos quartos de final da competição, mas o Bayern aparecia disposto a inverter o rumo da eliminatória: Heynckes apresentava-se no Giuseppe Meazza com um trio de avançados: Johnny Ekström, Jürgen Wegmann e Roland Wohlfarth. Se é certo que o Inter entrou melhor na partida, uma lesão de Andreas Brehme, pouco depois da meia hora de jogo, desorientou os «Nerazzurri» e catapultou os «Bávaros» para um final de primeira parte épico: Wohlfarth, Augenthaler e Wegmann, em apenas 8 minutos, consumaram uma histórica reviravolta na eliminatória, colocando o Bayern a vencer por 3-0, perante a estupefacção dos adeptos do Inter. Serena, em cima do intervalo, ainda reduziu, mas, na segunda parte, todos os intentos da formação de Milão, comandados por um fantástico Lothar Matthäus, esbarraram numa espantosa actuação de Raimond Aumann, guardião que assumira, no início da época, a sucessão do lendário Jean-Marie Pfaff. O Bayern, graças aos 3 golos apontados em solo italiano, seguiria em frente na Taça UEFA, de onde seria eliminado, nas meias-finais, pelo Nápoles de Diego Maradona e Careca.

 

Multimédia: Inter 1-3 Bayern

 

 


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.