Posted 22/02/2011 by Rui Malheiro in Playmaker
 
 

Inter – Bayern: o reencontro, 9 meses depois da final de Madrid

Leonardo: treinador do Inter Milão
Leonardo: treinador do Inter Milão

O

Inter receberá amanhã o Bayern Munique na primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, uma partida que será a reedição da final da competição a época passada. Nove meses depois, o Bayern procurará vingar-se da derrota na final de Madrid, um jogo decidido com dois golos de Diego Milito, o grande ausente do reencontro entre os «Nerazzurri» e os «Bávaros». Em recuperação desde que Leonardo substituiu Rafa Benítez no comando técnico da equipa, o Inter surge neste jogo moralizado com a reentrada na luta pelo título italiano, ao invés do Bayern, mais concentrado no seu trajecto na Liga dos Campeões e na Taça da Alemanha, já que a revalidação do título alemão é praticamente uma miragem, fruto dos 13 pontos de atraso em relação ao líder Borussia Dortmund. Protagonista de uma excelente campanha na edição deste ano da Liga dos Campeões, o Bayern somou 15 pontos – 5 vitórias e 1 derrota – em 6 jogos na fase de grupos, registo apenas superado pelo Real Madrid – 16 pontos, fruto de 5 vitórias e 1 empate. Já o Inter, na altura orientado por Rafa Benítez, terminou a fase de grupos atrás do Tottenham, totalizando 10 pontos, reflexo de 3 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. Em termos históricos, o Bayern tem-se dado bem com as deslocações ao terreno do Inter: venceu por 2-0, em Setembro de 2006, na fase de grupos da Liga dos Campeões 06/07; e por 3-1, em Dezembro de 1988, na terceira eliminatória da Taça UEFA 88/89.

 

Inter

Leonardo tem apostado, desde que chegou ao Inter, no 4x3x1x2 como sistema preferencial. No entanto, tudo aponta para que no jogo contra o Bayern, o Inter se apresente num 4x3x2x1. Com Milito lesionado e Pazzini – que tem sido o titular na ausência de Milito – impossibilitado de actuar na Liga dos Campeões, Leonardo deverá apostar em colocar Stankovic e Sneijder no apoio a Eto’o. Com isso, Pandev ficará no banco. No sector defensivo, tudo aponta para os regressos de Lúcio e Chivu. No centro da defesa, Lúcio deverá fazer dupla com Ranocchia: ambos preferem actuar pela direita, mas quando actuaram juntos, Leonardo optou por colocar Lúcio no centro/esquerda. Com o regresso de Chivu à lateral esquerda, Zanetti deverá ser utilizado no meio-campo, o que fará com que Kharja perca a titularidade.

 

Os últimos 4 jogos do Inter

 

19-02-2011, Serie A, Cagliari (c), 1-0 (V) – 4x2x3x1

 
Inter Milão vs. Cagliari

[várias trocas posicionais entre o tridente de apoio a Pazzini. Principalmente entre Pandev e Eto’o, que actuaram mais abertos sobre as faixas]

16-02-2011, Serie A, Fiorentina (f), 2-1 (V) – 4x3x1x2

 
Fiorentina vs. Inter Milão

13-02-2011, Serie A, Juventus (f), 0-1 (D) – 4x3x1x2

 
Juventus vs. Inter Milão

06-02-2011, Serie A, Roma (c), 5-3 (V) – 4x3x1x2

 
Inter Milão vs. Roma

 

Equipa Provável (vs. Bayern) – 4x3x2x1

 
Inter Milão: 4x3x2x1

 

Louis van Gaal

Bayern

O Bayern depara-se com algumas limitações no plantel. Contento e Olic – que não joga mais esta época – serão baixa por lesão, enquanto que a utilização de Kroos, muitas vezes utilizado a partir do banco, está em dúvida. As saídas de DeMichelis e van Bommel, durante o Mercado de Inverno, enfraqueceram o plantel do ponto de vista defensivo, a que acresce ainda o facto do central belga van Buyten ter deixado de fazer parte das opções de Van Gaal, o que tem levado o técnico a realizar várias adaptações: Tymoshchuk, médio defensivo, actua como central; Luiz Gustavo, médio de origem, tem vindo a ser utilizado lateral esquerdo; Pranjic, lateral, interior ou ala esquerdo, tem jogado como médio defensivo. O 4x2x3x1 continua a ser o sistema táctico preferencial: em desvantagem no marcador, arrisca, no entanto, algumas vezes, o 4x4x2, praticamente desdobrável em 4x2x4, juntando Klose a Gomez.

 

Os últimos 4 jogos do Bayern

 

19-02-2011, Bundesliga, Mainz 05 (f), 3-1 (V) – 4x2x3x1

 
Mainz vs. Bayern

12-02-2011, Bundesliga, Hoffenheim (c), 4-0 (V) – 4x2x3x1

 
Bayern vs. Hoffenheim

05-02-2011, Bundesliga, FC Colónia (f), 2-3 (D) – 4x2x3x1

 
FC Colónia vs. Bayern

29-01-2011, Bundesliga, Werder Bremen (f), 3-1 (V) – 4x2x3x1

 
Werder Bremen vs. Bayern

 

Equipa Provável (vs. Inter) – 4x2x3x1

 
Bayern: 4x2x3x1

 

O que esperar do jogo de amanhã

– Débil do ponto de vista defensivo, face ao elevado número de adaptações na defesa e meio-campo defensivo, o Bayern é uma equipa de forte vocação ofensiva, que procura explorar a velocidade e capacidade para criar desequilíbrios dos seus dois alas – Robben e Ribéry, ambos extremamente fortes no 1×1 e a explorar diagonais – e do médio ofensivo Müller, muito forte a jogar com e sem bola – excelentes desmarcações a aparecer em zona de finalização – e um jogador cada vez mais forte a assumir acções de condução entre a 3ª e 4ª fase de construção de jogo ofensivo em zonas centrais. Estes 3 jogadores também trocam frequentemente de posição. É importante para o Inter afastá-los do último terço do terreno, onde se revelam letais. O regresso de Chivu à lateral esquerda, após 3 semanas de paragem, também poderá ser um factor a ser explorado, principalmente por Robben, que é quem actua mais sobre a direita. Nota também para o excelente momento de forma do avançado-centro Gomez, melhor marcador da Bundesliga e autor de 11 golos nos últimos 9 jogos, sempre muito expedito a aproveitar as assistências do «tridente» de apoio. Para além disso, apesar da sua estampa física possante, revela grande mobilidade e astúcia a efectuar movimentos de dentro para fora, o que lhe permite criar espaços de penetração para Robben, Müller e Ribéry.

– O Inter na vitória caseira sobre o Roma (5-3) sentiu imensas dificuldades com a estratégia de ataques rápidos e contra-ataques do adversário. É uma equipa talhada para defender num bloco médio-baixo ou baixo, já que o seu tridente de médios dificilmente perde posição e tem uma noção táctica e posicional excelente, mas sente maiores dificuldades quando o bloco está mais subido, nomeadamente em situações de transição ataque-defesa contra adversários com jogadores velozes, já que nenhum dos médios é particularmente rápido a recuperar posição.

– O Bayern, face às características de Robben, Müller e Ribéry e à mentalidade ofensiva do seu treinador, gosta de ter bola e de impor um ritmo forte no jogo e explorar ataques rápidos e contra-ataques. No entanto, é uma equipa que fica muito partida nas transições ataque-defesa, o que a deixa muito exposta a ataques rápidos e contra-ataques do adversário, como também revela dificuldades quando o adversário impõe um ritmo mais baixo e aposta em fazer circular a bola, até porque é uma equipa que se sente muito pouco confortável quando não tem a bola e o tridente ofensivo do meio-campo não trabalha muito do ponto de vista defensivo e demora a recuar. Os dois médios defensivos – Pranjic e Schweinsteiger – também estão longe de serem especialistas em acções de recuperação. Por isso, percebe-se a provável aposta de Leonardo num esquema com 5 médios, a que se juntará o imprescindível apoio de Maicon na faixa direita – já que Chivu, por norma, não arrisca muito do ponto de vista ofensivo.

– Pressão média/alta por parte do Inter e debilidades do sector defensivo central do Bayern. Os centrais do Bayern sentem dificuldades no 1×1, principalmente o adaptado Tymoschuk – perde muitas vezes posição -, factor que Eto’o, sempre muito móvel, rápido e pronto a partir de posições exteriores para interiores, irá explorar, mas também o jovem Badstuber, apesar de muito promissor, poderá acusar a dimensão do jogo e do ambiente. Para além disso, quando saem a jogar demonstram algumas debilidades, bem visíveis nos últimos jogos do Bayern, o que poderá ser explorado por uma pressão média/alta do Inter, e será esse um dos motivos que levará Leonardo a apostar num 4x3x2x1. A isto juntam-se também as debilidades dos laterais na defesa de espaços interiores aéreos, principalmente de Luiz Gustavo.

– É fundamental para o Inter impedir que Schweinsteiger tenha muito contacto com a bola, já que é ele quem lança, muitas vezes a partir da 2ª fase de construção de jogo ofensivo, as acções ofensivas do Bayern. Motta, Cambiasso e Zanetti serão importantes nessa acção, fundamental para retirar capacidade ofensiva ao Bayern e obrigar Robben, Müller e Ribéry a recuarem no terreno.

– Com Leonardo, o Inter tem revelado uma maior capacidade para fazer circulação de bola e impor o ritmo de jogo que pretende. Quando a equipa aposta em situações de posse, o envolvimento ofensivo do lateral Maicon revela-se determinante, já que a equipa tende a centralizar o seu jogo e a abusar de jogo curto. Sneijder é, habitualmente, quem muda este estilo de jogo – parte normalmente da esquerda para o meio – e serve na faixa Maicon, que depois procura a área, aproveitando também os desdobramentos ofensivos de um ou dois dos médios centro: Cambiasso tem sido o jogador que mais vezes aparece em posições de finalização dentro da área. Sneijder aparece, à entrada da área, para um eventual ressalto, assim como Stankovic, caso se confirme a sua titularidade. Outra solução, são os passes de ruptura de Sneijder em direcção à Eto’o, na sequência de movimentos de desmarcação do avançado camaronês.

– No entanto, o Inter revela-se muito mais perigoso quando aposta em ataques rápidos e contra-ataques, aproveitando o desposicionamento do adversário, ao explorar a capacidade de condução, de desequilíbrio e passe de Sneijder, a que se deverá juntar a capacidade de condução e de passe de Stankovic, como também a velocidade, mobilidade e capacidade de desmarcação e de desequilíbrio no 1×1 de Eto’o, avançado que parte, quase sempre, de uma das alas. Das combinações entre estes jogadores, resultarão várias situações de finalização.

– Bolas paradas (Inter): A equipa tem-se mostrado perigosa a aproveitar livres laterais e pontapés de canto, até pela capacidade no futebol aéreo do central Rannocchia. Contudo, o Inter tem sentido, nos últimos jogos, bastantes dificuldades na defesa de bolas paradas aéreas. Contudo, a titularidade de Lúcio e Chivu aumentará a capacidade defensiva e ofensiva da formação italiana nesse tipo de situação.

– Bolas paradas (Bayern): Mesmo não tendo jogadores muito altos, o Bayern mostra-se muito perigoso a explorar finalizações a partir de livres laterais (batidos por Ribéry ou Robben). Gomez e Badstuber são os jogadores com maior presença aérea na área adversária, mas têm sido Schweinsteiger e Müller a aproveitar melhor esses lances nos últimos jogos, tirando partido da perspicácia na antecipação aos defesas adversários. Essa falta de jogadores altos e fortes no jogo aéreo tem sido também sentida do ponto de vista defensivo, situação que o Inter poderá explorar.

– Ambas as equipas têm jogadores capazes de marcar golos através de livres frontais, mas, nos últimos jogos, não têm sido felizes nesse tipo de execução.

 

MULTIMÉDIA (INTER)

 

MULTIMÉDIA (BAYERN)

 

 
fotos © Getty Images e Reuters


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.