Itália 2008/09: Inter Milão

Inter Milão
Inter Milão

FC INTERNAZIONALE (INTER MILÃO): O CAMPEÃO

T

ricampeão italiano com Roberto Mancini, o Inter iniciava, em 2008/09, um novo ciclo com a chegada de José Mourinho ao comando técnico do clube. Principal favorita à conquista do título, isto apesar do aguardado crescimento competitivo dos seus rivais, o que deixava antever o campeonato mais equilibrado dos últimos anos, a formação de Milão apostava igualmente numa carreira bem sucedida na Liga dos Campeões, competição que não vence desde 1964/65 e da qual foi eliminada nos oitavos de final nas duas épocas precedentes, factor determinante para o fim da era Mancini, a segunda mais vitoriosa da história da «Beneamata». Garantida a continuidade da estrutura base dos exercícios anteriores, Mourinho, que, desde cedo, teve que conviver com a animosidade de grande parte da imprensa italiana, não conseguiu ver satisfeito o seu desejo de contar com Frank Lampard, apontado como principal alvo dos «Nerazzurri» no «Mercado» de Verão, onde o Inter investiu mais de 50 milhões de euros nas aquisições de Muntari, Quaresma e Mancini. Conquistada a Supertaça italiana à Roma, após o desempate por pontapés da marca de grande penalidade, no jogo de arranque oficial da temporada, José Mourinho deparar-se-ia com dificuldades para impor o 4x3x3 como modelo preferencial de jogo, não só pelo rendimento aquém das expectativas dos alas Quaresma e Mancini, como também pelo facto da equipa ficar demasiado exposta do ponto de vista defensivo. Astuto a perceber o equívoco, Mourinho recorreria a um centralizado 4x3x1x2, sistema mais equilibrado e que lançou os «Nerazzurri» na rota do «tetra»: na liderança desde a 11ª jornada, o Inter superiorizou-se de forma inequívoca aos seus rivais e realizou o seu trajecto mais sólido dos últimos quatro anos. Na base do sucesso interno estiveram uma elevada consistência defensiva, um enorme rigor táctico e o assombroso rendimento de Ibrahimovic, melhor marcador e jogador do ano da Serie A, capaz de fazer a diferença nos momentos mais delicados e de suprir algumas lacunas que o colectivo evidenciou do ponto de vista ofensivo e que, em diversas ocasiões, impacientaram os adeptos. O trajecto europeu seria a grande pedra no sapato da temporada da «Beneamata», já que depois de um percurso irregular na fase de grupos, não conseguiu fazer face ao maior poderio do Manchester United nos oitavos de final da competição, o momento mais delicado da temporada do Inter, até porque azedou ainda mais as relações de Mourinho com uma imprensa sedenta por minimizar as suas virtudes.

 
Estatísticas

Inter Milão: estatísticas

 
Treinador

José Mourinho
foto © Getty Images

JOSÉ MOURINHO

Chegar, ver e vencer a Liga. José Mourinho concretizou o objectivo mínimo para a sua temporada de estreia no Calcio e alcançou-o de forma cómoda, errando muito menos que os rivais, à partida bem mais fortes do que nos exercícios anteriores. No entanto, o futebol praticado esteve longe de encantar, as aquisições de Quaresma e Mancini não tiveram o efeito desejado e a carreira na Liga dos Campeões ficou muito aquém do esperado, o que gerou um ambiente pouco confortável à volta do técnico português. Mas «il Speciale», que voltou a golear fora dos relvados, mostrou a inteligência e o tacto que explicam tantas vitórias, ao abdicar do 4x3x3 inicial pelo centralizado 4x3x1x2. E, claro, contou com um indomável Ibrahimovic, capaz de resolver as situações mais difíceis. Depois dos títulos em Portugal e Inglaterra, Mourinho somou a sua primeira conquista em Itália, onde, na próxima temporada, procurará conduzir os «Nerazzurri» à glória europeia com um plantel retocado e mais ambicioso. Enquanto isso, Espanha espera-o para a materialização de um histórico «grande slam».

Inter Milão: treinador

 
Equipa Tipo

Inter Milão: táctica

 
As Figuras

Zlatan Ibrahimovic
foto © Reuters

Zlatan Ibrahimovic

Esteban Cambiasso
foto © Reuters

Esteban Cambiasso

Júlio César
foto © Getty Images

Júlio César

Maicon
foto © Getty Images

Maicon

Javier Zanetti
foto © Getty Images

Javier Zanetti

 
foto de abertura © Reuters


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.