Posted 05/02/2008 by Rui Malheiro in Colunas
 
 

Neymar: prodígio do Santos faz hoje 16 anos.

neymar_2008
neymar_2008

NEYMAR, O PRODÍGIO DAS ESCOLAS DO SANTOS. Neymar da Silva Santos Júnior, ou simples Neymar, completa hoje 16 anos. Natural de Mogi das Cruzes, município brasileiro do Estado de São Paulo, é filho de um ex-jogador de futebol, também ele chamado Neymar, que, em 1999, vendo no seu rebento um talento fora de comum para a prática de futebol levou-o às escolas do Tumiarú, treinadas por Betinho, técnico que lançou Robinho, onde foi enquadrado na equipa de futsal. O seu percurso seguiu, entre o futsal e o futebol de onze em clubes amadores, mostrando um potencial técnico fora do comum para a sua idade, como também velocidade e um remate forte e colocado, que lhe valeu muitos golos e jogadas de grande espectáculo, que despertaram o interesse do Santos: no final de 2003, olheiros do clube deslocaram-se à Copa TV Tribuna de Futsal Escolar e não hesitaram em dar o aval à sua aquisição, depois de verem Neymar brilhar ao serviço do Colégio-Liceu São Paulo. Em 2004 dividiu o seu tempo pelas equipas de futsal e de futebol de campo de sub-13 do Santos, conquistando dois torneios, seguindo-se, em 2005, o troféu de melhor marcador do Campeonato Paulista de futebol em Pré-Infantil (sub-14) e o prémio de melhor jogador do ano na mesma categoria. O ano de 2006 ficou marcado pela sua promoção à equipa Infantil (sub-15), onde rapidamente se destacou, provocando a atenção de vários empresários e, de seguida, de clubes europeus, como o Real Madrid e o Manchester United. Agenciado por Wagner Ribeiro, empresário de Robinho, que tem relações complicadas com o Santos, depois da tumultuosa transferência do jogador para o Real Madrid, Neymar foi dado, no Verão de 2007, como futuro reforço do clube espanhol, tendo-se mesmo deslocado à capital espanhola. Contudo, o Santos conseguiu assegurar a sua permanência até hoje, 5 de Fevereiro de 2008, data em que poderá, finalmente, assinar um contrato como profissional, que tem sido negociado nos últimos meses. Entretanto, Neymar foi o melhor marcador da equipa infantil (sub-15) do Santos em 2007, ao apontar 15 golos em 22 jogos, e no início deste ano, ainda com 15 anos, teve a oportunidade de realizar 4 jogos, todos como suplente utilizado, na Copa São Paulo 2008, destinada à categoria sub-19, marcando 1 golo, de grande penalidade, diante do Nacional de São Paulo.

PRÉ-ACORDO ATÉ 2013. Depois de no Verão passado ter estado muito perto de rumar ao Real Madrid, o Santos conseguiu “segurar” o jovem prodígio, que também mostrou vontade em permanecer no clube da Vila Belmiro, apesar de não esconder o “sonho” de vir a representar Real Madrid, Barcelona ou Manchester United no futuro. Para fazer face à impossibilidade de assinar contrato como profissional, o que no Brasil é possível a partir dos 16 anos, o Santos acertou um contrato de cessão de imagem com cláusula de rescisão de 25 milhões de dólares, válido até 2015, como também terá avançado com 2 milhões de reais (730 mil euros) para a família do jogador, pagos em parcelas até 2013, data em que terminará o futuro vínculo profissional de Neymar. Zito, campeão do Mundo em 1958 e 1962, e actual responsável pelo futebol de base do Santos, considera que foi um investimento demasiado avultado, mas que Marcelo Teixeira, presidente do clube, achou que seria rentável, pensando num futuro negócio com a venda do seu passe por valores entre os 50 e os 60 milhões de reais (18 a 22 milhões de euros).

SEM PRECIPITAÇÕES. O mediatismo em torno de Neymar fez com que a imprensa brasileira questionasse nas últimas semanas a hipótese de uma promoção à equipa principal. Emerson Leão, actual treinador do Santos, rejeitou a ideia, dizendo que o jogador ainda está a ser preparado e que, nesta altura, o mais importante é não queimar etapas antes da hora, de forma a não prejudicar o seu crescimento. Márcio Fernandes, técnico que o lançou na equipa júnior este ano, considera que o jogador tem muito talento, mas que ainda tem que evoluir e que a sua presença na Copa São Paulo lhe permitiu ganhar experiência e sentir a realidade de uma equipa bem mais próxima do escalão sénior. Já Zito, o já citado director do futebol de base do Santos, não tem dúvidas, ao definir Neymar como “ferinha” e “jóia do Santos”.

O QUE MOSTROU NEYMAR NA COPA SÃO PAULO 2008. Capaz de desempenhar vários postos entre o meio campo ofensivo e o ataque, tanto pode actuar como médio ofensivo, com características próximas de um “10”, como também como avançado móvel, nas costas de um avançado mais fixo ou a sair das alas para o meio. Fisicamente frágil – mas já acima do 1.66/53 que lhe é apontado – terá ainda muito que progredir a esse nível, já que se mostra muito frágil no choque, ficando sempre a perder em lances corpo a corpo, como também ainda não está preparado para jogar 90 minutos. Contudo, é um jogador destemido e agitador, que não tem qualquer receio de partir para cima do adversário, mostrando velocidade, capacidade de aceleração e de desmarcação, como também uma técnica muito interessante para um jogador tão jovem, ainda que tenha recorrido com algum exagero às célebres “pedaladas”, uma das imagens de marca do ídolo Robinho, o que o levou a perder objectividade nalgumas acções, mas não abusa de iniciativas individuais, até porque se trata de um jogador com forte sentido colectivo. E foi nesse aspecto que mais se destacou: mostrou possuir uma visão de jogo impressionante, para além de grande capacidade de passe, jogando com facilidade a um-dois toques com ambos os pés, descobrindo espaços onde parecem não existir e mostrando uma espantosa facilidade a desmarcar os avançados, o que lhe permitiu realizar várias assistências para finalizações, quer através de passes de ruptura a partir de posições centrais – os passes de três dedos (trivela) poderão constituir-se como uma das suas imagens de marca -, quer a partir de cruzamentos desde os flancos. Mostra também facilidade a aparecer em posições de finalização, quer dentro da área – onde sabe tirar partido de um bom poder de desmarcação -, quer à entrada desta, mas não revelou grande apetência pela baliza adversária, marcando apenas um golo, de grande penalidade. Optou, quase sempre, por passes, mas nos escalões de base do Santos tem mostrado uma boa capacidade de finalização com os pés, tirando também partido da sua boa capacidade de definição com o pé direito – o seu mais forte -, mas também de pé esquerdo, que usa com grande à vontade. Do ponto de vista defensivo e táctico tem também muitos aspectos a limar, mas mostra capacidade de sacrifício e é capaz de correr atrás da bola.

 

[accordion title=”Multimédia”] [/accordion]

 


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.