Posted 13/08/2009 by Rui Malheiro in Playmaker
 
 

Premier League 2009/10: Apostas na continuidade

Manchester United's new signings Obertan,Owen and Valencia pose for photographs with coach Ferguson at the clubs Carrington training centre in Manchester
Manchester United's new signings Obertan,Owen and Valencia pose for photographs with coach Ferguson at the clubs Carrington training centre in Manchester

Publicado no jornal «O Jogo» – especial «Novas Ligas»

 

Antevisão

A

forma ávida como Real Madrid e o Manchester City abordaram o Mercado inglês durante o defeso deixava antever um Verão fulgurante a nível de aquisições por parte dos big four. Puro engano. Manchester United, Liverpool, Chelsea e Arsenal apostaram principalmente na continuidade e as perdas – algumas delas de vulto – foram supridas, pelo menos até ao momento, com aquisições pouco transcendentais. No primeiro ano pós-Cristiano Ronaldo, o Manchester United pretende continuar a fazer história e parte para o novo exercício com dois objectivos claros: somar o primeiro tetra do seu riquíssimo historial e tornar-se no clube inglês com mais títulos conquistados. Principal alvo a abater, a formação de Alex Ferguson terá, no entanto, a hercúlea tarefa de minimizar o abalo provocado pela perda do seu jogador mais decisivo e figura de proa no tricampeonato. Sem reforços de peso, o sucesso dos Red Devils passará pela capacidade desequilibradora de Wayne Rooney, pelo salto qualitativo de alguns jogadores, entre os quais se inclui Nani, e pela regularidade do muro central formado por Ferdinand e Vidic, decisivo pela sua tremenda consistência no sucesso da última temporada. Liverpool e Chelsea parecem ser os principais candidatos a quebrar a hegemonia do Manchester United. Os Reds, depois do segundo lugar em 2008/09, aspiram a quebrar o jejum de vinte anos sem títulos nacionais, que lhes fez perder, de forma isolada, o estatuto de clube inglês mais titulado. Enquanto os adeptos esperam ansiosamente a chegada de um reforço de topo, Gerrard e Torres comandam um pelotão que abraça a nova época com a ambição nos píncaros, mesmo que a pré-época tenha ficado um pouco aquém das expectativas. Mas para o título se concretizar, Rafa Benítez sabe que os empates absurdos e carregados de displicência, que travaram o trajecto vitorioso da última temporada, terão que dar lugar a vitórias. Os Blues, por sua vez, avançam para 2009/10 com uma clara aposta na continuidade. O bom fim de época com Hiddink recarregou a bateria da ambição – que chegou a parecer desligada em alguns jogadores na era Scolari – e a entrada vitoriosa no novo exercício, sob o comando de Carlo Ancelotti, consolidou as altas expectativas, apesar de não se ter concretizado a aquisição de Andrea Pirlo, o reforço desejado pelo técnico italiano. No entanto, o plantel é rico em opções em praticamente todos os sectores, e a chegada de Sturridge e, principalmente, do internacional russo Zhirkov aumentam as soluções, até porque, ao contrário dos outros clubes que lutam pelo título, o Chelsea não sofreu qualquer baixa de peso. Aparentemente a correr por fora estará o Arsenal. A pressão em torno de Arsène Wenger, fruto da sucessão recente de fracassos, é enorme e a perde de unidades nucleares, como Kolo Touré e Adebayor, não ajuda a reconquistar os adeptos dos Gunners, ainda na expectativa da chegada de dois reforços de peso: um médio defensivo e um avançado goleador. A principal novidade para o novo exercício é a aposta num praticamente inédito 4x3x3, rapidamente comparado pela imprensa e adeptos ao modelo de sucesso do Barcelona de Guardiola. Contudo, os protagonistas são bem diferentes, ainda que a qualidade de Arshavin, Fàbregas e van Persie faça adivinhar, pelo menos, excelentes espectáculos. Por fim, referência ao Manchester City, mais uma vez o campeão de Mercado, com um impressionante registo de 111,8 milhões de euros gastos em cinco aquisições. Kolo Touré, Barry, Tévez, Santa Cruz e Adebayor aumentam claramente a qualidade do plantel, o que deixa Mark Hughes – há um ano a procurar sem sucesso uma equipa-base – no fio da navalha. Uma má entrada na temporada custar-lhe-á o lugar, mas, mesmo com bons resultados, a pressão em seu redor continuará a ser enorme, já que os investidores árabes acham que chegou a altura de conquistar títulos.

 

[accordion title=”MAIORES TRANSFERÊNCIAS”]

Cristiano Ronaldo (extremo) valor: € 94.000.000
de: Manchester United para: Real Madrid

Xabi Alonso (médio defensivo) valor: € 35.400.000
de: Liverpool para: Real Madrid

Emmanuel Adebayor (avançado) valor: € 29.000.000
de: Arsenal para: Manchester City

Carlos Tévez (avançado) valor: € 29.000.000
de: Manchester United para: Manchester City
(o passe do jogador pertencia a um fundo de investimento)

Roque Santa Cruz (avançado) valor: € 21.200.000
de: Blackburn Rovers para: Manchester City

Yuri Zhirkov (lateral, médio interior, médio ala esquerdo) valor: € 21.000.000
de: CSKA Moscovo para: Chelsea

Glen Johnson (lateral direito) valor: € 20.500.000
de: Portsmouth para: Liverpool

Alberto Aquilani (médio centro) valor: € 20.000.000
de: AS Roma para: Liverpool

Luis Antonio Valencia (médio ala direito) valor: € 18.900.000
de: Wigan para: Manchester United

Kolo Habib Touré (defesa central) valor: € 18.700.000
de: Arsenal para: Manchester City

[/accordion]

[accordion title=”OS PORTUGUESES”]

JOGADOR CLUBE
Ricardo Vaz Té BOLTON WANDERERS
Ricardo Carvalho CHELSEA
José Bosingwa CHELSEA
Paulo Ferreira CHELSEA
Deco CHELSEA
Hilário CHELSEA
Nani MANCHESTER UNITED
Luís Boa Morte WEST HAM UNITED

[/accordion]

 

ARSENAL: A nova fórmula de Wenger

A viver o momento mais delicado dos seus 13 anos à frente do Arsenal, Arsène Wenger joga muito do seu futuro em 2009/10, já que dificilmente lhe será perdoado um novo exercício em branco. A pressão é enorme: o Arsenal não vence a Liga há cinco anos, não conquista nenhum troféu de relevo há quatro e tem vindo a acumular quartos lugares – três nas últimas quatro épocas. A venda dos passes de dois titulares indiscutíveis – Kolo Touré e Adebayor – indiciaria um ataque ao Mercado bem incisivo, o que, até ao momento, não se verificou. O promissor central belga Vermaelen, ex-Ajax, é a única aquisição, o que parece, à partida, demasiado curto para atacar o título. A principal novidade acaba por ser a adopção do 4x3x3 como modelo táctico preferencial, onde Arshavin, Fàbregas e van Persie assumem um papel fulcral.

TREINADOR
Arsène Wenger (francês)

ESTRELA
Andrei Arshavin (avançado)

ESTÁDIO
Emirates (60.355 espectadores)

EQUIPA-TIPO (4x3x3)

Arsenal 2009/10

OUTRAS OPÇÕES
Eboué (lateral/médio ala direito), Djourou (defesa central), Denilson (médio centro/interior), Diaby (médio interior), Nasri (médio ofensivo/ala), Walcott (extremo), Bendtner (avançado).

 

CHELSEA: Candidato mesmo sem galáctico

A principal novidade do Chelsea para o ataque ao novo exercício é o técnico: o italiano Carlo Ancelotti, que em 8 anos ao serviço do AC Milan venceu mais troféus internacionais – 5 – do que nacionais – 3 (apenas um campeonato) –, chega a Stamford Bridge com o objectivo de conduzir os Blues ao título. A contratação de um reforço galáctico – o jogador desejado era Andrea Pirlo – não se concretizou e a aposta, apesar das aquisições de Zhirkov e Sturridge, passa pela continuidade, situação que saiu reforçada com o bom final de época realizado sob o comando técnico de Guus Hiddink. O início de época vitorioso, com a conquista da FA Community Shield, é um bom augúrio para Ancelotti, que aposta no 4x4x2 em losango como modelo preferencial.

TREINADOR
Carlo Ancelotti (italiano)

ESTRELA
Frank Lampard (médio interior/ofensivo)

ESTÁDIO
Stamford Bridge (42.055 espectadores)

EQUIPA-TIPO (4x4x2 losango)

Chelsea 2009/10

OUTRAS OPÇÕES
Ivanovic (lateral direito/defesa central), Mikel (médio defensivo), Zhirkov (médio interior esquerdo), Joe Cole (médio ofensivo/ala), Deco (médio ofensivo), Kalou (avançado/extremo).

 

LIVERPOOL: O último degrau

Vice-campeão em 2008/09, o Liverpool abraça o novo exercício com o objectivo de subir o último degrau em direcção ao ansiado título nacional que lhe escapa há 20 anos. A perda de Xabi Alonso para o Real Madrid, depois de uma longa novela que agitou o defeso, é, indiscutivelmente, uma baixa de vulto, mas a aquisição do italiano Alberto Aquilani poderá permitir uma aproximação ao 4x1x4x1, fixando Mascherano como médio mais defensivo. Já no sector defensivo, a saída de Arbeloa foi compensada com a aquisição de Glen Johnson, lateral que dará a Benítez maiores garantias, tanto do ponto de vista defensivo como ofensivo. O passo decisivo rumo ao título poderá passar pela ansiada aquisição de um craque de valor indiscutível: os Reds estarão no Mercado até 31 de Agosto e David Silva, do Valencia, é o nome mais falado.

TREINADOR
Rafael Benítez (espanhol)

ESTRELA
Steven Gerrard (médio interior/ofensivo)

ESTÁDIO
Anfield (45.522 espectadores)

EQUIPA-TIPO (4x2x3x1 ou 4x1x4x1)

Liverpool 2009/10

OUTRAS OPÇÕES
Agger (defesa central), Dossena (lateral esquerdo), Fábio Aurélio (lateral esquerdo), Lucas Leiva (médio defensivo), Benayoun (médio ala/extremo), Babel (médio ala/extremo).

 

MANCHESTER UNITED: Fazer história sem Ronaldo

Em busca do primeiro tetracampeonato do seu historial, que permitirá que se torne, de forma isolada, no emblema inglês mais titulado, o Manchester United será, seguramente, o alvo a abater no novo exercício, mas os efeitos da perda da sua mega-estrela Cristiano Ronaldo poderão ser demasiado nefastos para os Red Devils. Quem esperava que Alex Ferguson atacasse o Mercado de forma feroz ficou desiludido: Owen, Valencia e Obertan, que constituem o tridente de reforços para o novo exercício, não são nomes indiscutíveis. Salvo alguma surpresa de última hora, o sucesso do Man U passará obrigatoriamente por um rendimento superlativo de Wayne Rooney, como também pela firmeza do sector recuado – decisivo em 2008/09 – e pelo rendimento mais estável de jogadores como Berbatov, Owen, Nani ou Anderson.

TREINADOR
Alex Ferguson (escocês)

ESTRELA
Wayne Rooney (avançado)

ESTÁDIO
Old Trafford (76.212 espectadores)

EQUIPA-TIPO (4x4x2)

Manchester United 2009/10

OUTRAS OPÇÕES
Gary Neville (lateral direito), Brown (lateral direito), Rafael (lateral direito), Evans (defesa central), Scholes (médio centro), Anderson (médio centro), Giggs (médio ala/interior esquerdo), Park (médio ala/extremo), Owen (avançado).

 

[accordion title=”ASTON VILLA”]TREINADOR
Martin O’Neill (norte-irlandês)
ESTRELA
Ashley Young (extremo)
ESTÁDIO
Villa Park (42.573 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”BIRMINGHAM CITY”]TREINADOR
Alex McLeish (escocês)
ESTRELA
Christian Benítez (avançado)
ESTÁDIO
St. Andrew’s (30.016 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”BLACKBURN ROVERS”]TREINADOR
Sam Allardyce
ESTRELA
Nikola Kalinic (avançado)
ESTÁDIO
Ewood Park (31.367 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”BOLTON WANDERERS”]TREINADOR
Gary Megson
ESTRELA
Johan Elmander (avançado)
ESTÁDIO
Reebok (28.723 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”BURNLEY”]TREINADOR
Owen Coyle (irlandês)
ESTRELA
Steven Fletcher (avançado)
ESTÁDIO
Turf Moor (22.546 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”EVERTON”]TREINADOR
David Moyes (escocês)
ESTRELA
Tim Cahill (médio ofensivo)
ESTÁDIO
Goodison Park (40.158 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”FULHAM”]TREINADOR
Roy Hodgson
ESTRELA
Brede Hangeland (defesa central)
ESTÁDIO
Craven Cottage (25.678 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”HULL CITY”]TREINADOR
Phil Brown
ESTRELA
Michael Turner (defesa central)
ESTÁDIO
KC Stadium (25.404 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”MANCHESTER CITY”]TREINADOR
Mark Hughes (galês)
ESTRELA
Robinho (avançado, extremo)
ESTÁDIO
City of Manchester (47.726 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”PORTSMOUTH”]TREINADOR
Paul Hart
ESTRELA
Niko Kranjcar (médio ofensivo, médio ala)
ESTÁDIO
Fratton Park (20.688 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”STOKE CITY”]TREINADOR
Tony Pulis (galês)
ESTRELA
Ricardo Fuller (avançado)
ESTÁDIO
Britannia (28.383 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”SUNDERLAND”]TREINADOR
Steve Bruce
ESTRELA
Kenwyne Jones (avançado)
ESTÁDIO
Stadium of Light (49.000 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”TOTTENHAM HOTSPUR”]TREINADOR
Harry Redknapp
ESTRELA
Luka Modric (médio ofensivo, médio ala)
ESTÁDIO
White Hart Lane (36.310 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”WEST HAM UNITED”]TREINADOR
Gianfranco Zola (italiano)
ESTRELA
Carlton Cole (avançado)
ESTÁDIO
Boleyn Ground (35.303 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”WIGAN ATHLETIC”]TREINADOR
Roberto Martínez (espanhol)
ESTRELA
Chris Kirkland (guarda-redes)
ESTÁDIO
DW Stadium (25.138 espectadores)[/accordion]

[accordion title=”WOLVERHAMPTON WANDERERS”]TREINADOR
Mick McCarthy (irlandês)
ESTRELA
Sylvan Ebanks-Blake (avançado)
ESTÁDIO
Molineux (29.396 espectadores)[/accordion]

 

foto de abertura © Reuters


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.