Rússia 2008

Rubin Kazan
Rubin Kazan

Balanço

C

ontrariando todas as expectativas, o Rubin Kazan, clube mais representativo da região da Tartária, conquistou a Liga russa em 2008, a segunda consecutiva a não ser vencida por emblemas moscovitas, detentores de 14 dos 17 campeonatos disputados, depois do êxito, em 2007, do Zenit São Petersburgo, clube que era apontado como principal favorito à revalidação do título. Contudo, a formação orientada pelo holandês Dick Advocaat, que reforçara a estrutura que garantira o êxito no exercício anterior, colocou o seu percurso interno em plano secundário, ao apostar todas as «fichas» numa trajectória gloriosa a nível europeu, marcada pelas conquistas da Taça UEFA 2007/08 e da Supertaça europeia 2008, a que juntou ainda a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões 2008/09, onde não conseguiu fazer face ao favoritismo de Real Madrid e Juventus. Uma poderosa entrada na Liga, com 7 triunfos consecutivos nas 7 primeiras jornadas, lançou o Rubin Kazan na liderança isolada da competição, facto que foi bastante desvalorizado pela imprensa russa e pelos principais adversários, que aguardavam serenamente pela quebra de produção dos comandados de Kurban Berdyev, que viria mesmo a concretizar-se: entre a jornada 8 e a jornada 16, o «Rubi» apenas somou um triunfo, mas uma série de 6 empates consecutivos, 5 deles após a longa paragem competitiva motivada pela participação da Rússia no Euro 2008, permitiam ainda segurar uma curta vantagem pontual sobre os principais rivais. Um retumbante triunfo sobre o Zenit (4-1), à 17ª jornada, marcaria o início de novo período fulgurante do Rubin Kazan, que somaria 10 vitórias em 11 jornadas, o que permitiu festejar o inédito título à jornada 27, após um triunfo suado na deslocação ao terreno do Saturn, graças a um golo, em cima da hora, do veterano internacional sérvio Savo Milosevic. Nem o final de época desastroso, com 3 derrotas nas últimas 3 jornadas, retirou brilho a uma conquista épica, baseada num estilo de jogo defensivo e de grande rigidez táctica, onde a exploração vigorosa de contra-ataques e ataques rápidos ajuda a explicar o sucesso, bem atestado pelo facto de ter conquistado mais pontos fora de casa – onde venceu Lokomotiv, Zenit, Dinamo, FK Moscovo e Spartak – do que em casa, onde sentiu muitas dificuldades para se impor, até pelas dificuldades em assumir uma estratégia de ataque continuado. Bem mais empolgante foi o ultra-elogiado futebol ofensivo do CSKA Moscovo, que contou com o «pé quente» de Vágner Love, artilheiro mor da temporada russa, como também com o rendimento superlativo dos criativos Krasic, Zhirkov e Dzagoev, um jovem de 18 anos que se assumiu como a grande revelação do ano. No entanto, um princípio de exercício extremamente irregular acabou por não permitir a concretização de uma espectacular recuperação, suportada por 11 vitórias entre a ronda 17 e a ronda 29, que ficou marcada pelo estrondoso triunfo (4-0) sobre o novo campeão. A vitória na Taça, depois de uma final disputadíssima diante do Amkar Perm, apenas decidida no desempate por pontapés da marca de grande penalidade, permitiu à «Armada» não terminar a época de bolsos vazios, mas soube a pouco, o que levou Valery Gazzaev, tricampeão russo pelo CSKA, a abandonar o comando técnico do clube moscovita.

 

Classificação:

 1.Rubin Kazan                30  18  6  6  44-26  60  Campeão; L.Campeões(f.grupos)
 2.CSKA Moscovo               30  16  8  6  53-24  56  Liga Campeões (fase grupos)
 3.Dinamo Moscovo             30  15  9  6  41-29  54  Liga Campeões (3ª pré)
 4.Amkar Perm                 30  14  9  7  31-22  51  Liga Europa (elim. acesso)         
 5.Zenit São Petersburgo      30  12 12  6  59-37  48  Liga Europa (elim. acesso)         
 6.Krylya Sovetov Samara      30  12 12  6  46-28  48  Liga Europa (3ª pré)
 7.Lokomotiv Moscovo          30  13  8  9  37-32  47  
 8.Spartak Moscovo            30  11 11  8  43-39  44  
 9.FK Moscovo                 30   9 11 10  34-36  38  
10.Terek Grozny               30   9  8 13  28-42  35  
11.Saturn Moskovskaya Oblast  30   7 12 11  26-30  33  
12.Spartak Nalchik            30   8  8 14  30-39  32  
13.Tom Tomsk                  30   7  8 15  23-39  29  
14.FK Khimki                  30   6  9 15  34-54  27  
-----------------------------------------------------
15.Shinnik Yaroslavl          30   5  7 18  25-48  22  Despromovido
16.Luch-Energiya Vladivostok  30   3 12 15  24-53  21  Despromovido

 

Quem Subiu:

FK Rostov, Kuban Krasnodar.

 

Melhores Marcadores

VÁGNER Silva de Souza «LOVE» (CSKA Moscovo), 20
Peter ODEMWINGIE (Lokomotiv Moscovo), 10
DANNY Alves Gomes (Zenit), 10
Marko TOPIC (Saturn), 10
Martin KUSHEV (Amkar Perm), 9
Diniyar BILYALETDINOV (Lokomotiv Moscovo), 9
Elidar NIZAMUTDINOV (FK Khimki), 9
Alan DZAGOEV (CSKA Moscovo), 8
FATIH TEKKE (Zenit), 8
Anton BOBER (Krylia Sovetov Samara), 8
Héctor BRACAMONTE (FK Moscovo), 7
Andrei TIKHONOV (Krylia Sovetov Samara), 7
Aleksandr KERZHAKOV (Dinamo Moscovo), 7
Dmitri SYCHEV (Lokomotiv Moscovo), 7
Konstantin ZYRYANOV (Zenit), 7
Evgeni SAVIN (Krylia Sovetov Samara), 7
Jan KOLLER (Krylia Sovetov Samara), 7
Andrey ARSHAVIN (Zenit), 6
Nikita BAZHENOV (Spartak Moscovo), 6
Denis BOYARINTSEV (Shinnik Yaroslavl), 6
Alexander BUKHAROV (Rubin Kazan), 6
Victor FAIZULIN (Zenit), 6
GÖKDENIZ KARADENIZ (Rubin Kazan), 6
Milos KRASIC (CSKA Moscovo), 6
Christian Fernando NOBOA (Rubin Kazan), 6
Alexander PAVLENKO (Spartak Moscovo), 6
Roman PAVLYUCHENKO (Spartak Moscovo), 6
Pavel POGREBNYAK (Zenit), 6
Igor SEMSHOV (Dinamo Moscovo), 6
Anatoliy TYMOSHCHUK (Zenit), 6
WELLITON Soares de Morais (Spartak Moscovo), 6

 

Dados Relevantes

O Campeão

1º título russo do Rubin Kazan, clube que nunca jogou na principal Liga da União Soviética e que só em 2003 se estreou na divisão maior do futebol russo, depois de se ter sagrado campeão da 2ªDivisão em 2002.

Clubes com mais títulos

Spartak Moscovo (9), CSKA Moscovo (3), Lokomotiv Moscovo (2), Spartak-Alania Vladikavkaz, Zenit São Petersburgo e Rubin Kazan (1).

Mais vitórias

Rubin Kazan (18).

Menos derrotas

Rubin Kazan, CSKA Moscovo, Dinamo Moscovo, Zenit e Krylya Sovetov (6).

Melhor ataque

Zenit (59).

Melhor defesa

Amkar Perm (22).

Menos empates

Rubin Kazan (6).

Mais empates

Saturn, Zenit, Luch-Energiya Vladivostok e Krylya Sovetov (12).

Menos vitórias

Luch-Energiya Vladivostok (3).

Mais derrotas

Shinnik Yaroslavl (18).

Pior ataque

Tom Tomsk (23).

Pior defesa

FK Khimki (54).

Melhor equipa nos jogos em casa

Dinamo Moscovo (35). 11 vitórias, 2 empates e 2 derrotas.

Melhor equipa nos jogos fora de casa

Rubin Kazan (33). 10 vitórias, 3 empates e 2 derrotas.

Melhor série de vitórias consecutivas

CSKA Moscovo e Rubin Kazan (7).

Melhor série de jogos consecutivos sem perder

CSKA Moscovo (13).

Pior série de derrotas consecutivas

Shinnik Yaroslavl (5).

Pior série de jogos consecutivos sem vencer

Luch-Energiya Vladivostok (13).

Média de golos

2,4 golos por jogo. Representou um acréscimo de 0,1 em relação à temporada anterior (média de 2,3 golos por jogo).

Jogo com mais golos

Zenit – Luch-Energiya Vladivostok (8-1).

Maior goleada

Zenit – Luch-Energiya Vladivostok (8-1).

Resultados mais comuns

1-0 (42), 2-0 e 2-1 (34), 1-1 e 0-0 (30), 3-1 (16).

Percentagem de jogadores russos utilizados na Liga

50,5%. Representou um decréscimo de 0,8% em relação à época anterior (51,3%).

Equipa mais nacional

Tom Tomsk – 62,2% de utilização de jogadores russos.

Equipa menos nacional

FK Khimki – 38,4% de utilização de jogadores russos.
Sete das dezasseis equipas participantes na Liga ficaram abaixo dos 50% de utilização de jogadores russos.

Países mais representados (utilização em jogos da Liga)

Rússia (50,5%), Brasil (4,1%), Bielorrússia (3,1%), República Checa (2,9%), Sérvia (2,8%) e Bósnia (2,6%).

Portugueses

Danny, antigo jogador de Marítimo e Sporting, assumiu-se como a grande figura da temporada, ao protagonizar a maior transferência de sempre do futebol russo: depois de um excelente arranque de época no Dinamo Moscovo, com 4 golos e 7 assistências em 18 jogos, que lhe valeu a estreia pela Selecção AA portuguesa, rumou ao Zenit, que investiu 30 milhões de euros na sua aquisição. A sua estreia pelo clube de São Petersburgo foi retumbante, já que se revelou decisivo para a conquista da Supertaça Europeia diante do Manchester United (2-1), ao marcar um dos golos e ao ver a UEFA reconhecer a sua excelente exibição com o prémio de melhor em campo. Considerado o melhor médio ofensivo da Liga russa em 2008, à frente de Dzagoev, a revelação do ano, terminou o campeonato como 2º melhor marcador – 10 golos – e líder do «ranking» das assistências para golo – 12. Bem menos felizes foram os outros jogadores portugueses: se Fábio Felício, que começou a temporada como jogador do campeão Rubin Kazan, nem chegou a ser inscrito, acabando por sair, em Julho de 2008, para os gregos do Asteras Tripolis, Ricardo Silva e Bruno Basto, desceram de divisão pelo Shinnik Yaroslavl, clube que no início da temporada foi orientado por Sergei Yuran, antigo jogador de Benfica e FC Porto.

Os números dos 3 jogadores portugueses na Liga russa 2008: Danny (luso-venezuelano, Dinamo Moscovo, 18 jogos/5 golos e Zenit, 10 jogos/5 golos); Ricardo Silva (Shinnik Yaroslavl, 25 jogos/3 golos); Bruno Basto (Shinnik Yaroslavl, 14 jogos/0 golos).

Jogadores mais utilizados

– Igor Akinfeev, CSKA Moscovo, 30 jogos, 2700 minutos de utilização (totalista)
– Eduardo Lobos, Krylya Sovetov, 30 jogos, 2700 minutos de utilização (totalista)
– Vyacheslav Malafeev, Zenit, 30 jogos, 2700 minutos de utilização (totalista)
– Stipe Pletikosa, Spartak Moscovo, 30 jogos, 2700 minutos de utilização (totalista)
– Dmitri Kombarov, Dinamo Moscovo, 30 jogos, 2684 minutos de utilização
– Georgi Peev, Amkar Perm, 30 jogos, 2651 minutos de utilização.

Jogadores com melhor média pontual

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 16 jogos)

– David Kvirkvelia, Rubin Kazan, 2,375 (24 jogos)
– Alexander Ryazantsev, Rubin Kazan, 2,364 (22 jogos)
– Hasan Salih Kabze, Rubin Kazan, 2,261 (23 jogos)
– Sergey Ryzhikov, Rubin Kazan, 2,154 (26 jogos)
– Alan Dzagoev, CSKA Moscovo, 2,150 (20 jogos)
– Alexander Bukharov, Rubin Kazan, 2,150 (20 jogos).

O melhor marcador

Vágner Love (CSKA Moscovo)
20 golos em 26 jogos
7 golos apontados em casa e 13 em jogos extramuros
9 golos obtidos na primeira parte e 11 na segunda parte
Marcou golos em 11 partidas: seis golos foram «solitários», aos quais juntou ainda duas «duplas», duas «triplas» e uma «quádrupla», obtida, à 28ª jornada, na deslocação vitoriosa ao terreno do FK Moscovo (4-1).

Jogador com a melhor série de jogos consecutivos a marcar golos

Alan Dzagoev (CSKA Moscovo), 5.

Jogador mais eficaz

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 16 jogos)

Vágner Love (CSKA Moscovo), 1 golo a cada 113 minutos de utilização.

Melhor «joker» – jogador com mais golos como suplente utilizado

Rustem Kalimullin (Spartak Nalchik), 3 golos em 7 partidas como suplente utilizado.

Guarda-redes menos batido

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 16 jogos)

Vladimir Gaboulov (Amkar Perm e Dinamo Moscovo), 0,59 golos sofridos por jogo.

Guarda-redes com mais «balizas-virgens»

Eduardo Lobos (Krylya Sovetov), 14 em 30 jogos.

Guarda-redes com melhor percentagem de «balizas-virgens»

(entre os jogadores que completaram mais de metade da época: 16 jogos)

Sergey Narubin (Amkar Perm), 55,0% (11 em 20 jogos).

Guarda-redes que mais minutos esteve sem sofrer golos

Igor Akinfeev (CSKA Moscovo), 717 minutos, numa série iniciada na 14ª jornada e que se prolongou até à 21ª jornada, tendo ainda disputado entre essas partidas um jogo em atraso relativo à 8ª jornada.

 

Taça

17-5-2008
CSKA Moscovo, 2 (Vágner Love, 65., Jô, 75.)
Amkar Perm, 2 (Nikola Drincic, 57., Tomislav Dujmovic, 64.)

[após prolongamento, 2-2 no final do tempo regulamentar]

O CSKA Moscovo venceu a Taça, após o desempate por pontapés da marca de grande penalidade, ao bater o Amkar Perm por 4-1.

 

Supertaça

9-3-2008
Zenit, 2 (Andrey Arshavin, 34., Pavel Pogrebnyak, 82.)
Lokomotiv Moscovo, 1 (Rodolfo, 69.)

 

RUBIN KAZAN: O CAMPEÃO

 
Estatísticas

Nac. Pos. Nome J G A V Min.
RUS A Roman ADAMOV 13 1 1 0 535
ARG DM Cristian ANSALDI 27 1 7 0 2.375
RUS M Evgeni BALYAIKIN 10 0 6 0 527
RUS A Aleksandr BUKHAROV 20 6 1 0 1.059
UZB D Andrei FEDOROV 1 0 1 0 90
BRA D GABRIEL Fernando Atz 1 0 0 0 5
UZB M Vagiz GALIULIN 1 0 0 0 24
SWE M Peter GITSÉLOV 1 0 0 0 17
TUR MA GÖKDENIZ KARADENIZ 27 6 3 0 2.112
TUR MA HASAN SALIH Kabze 23 2 3 0 726
BRA M JEFTHON Ferreira 2 0 0 0 100
RUS M Andrei KOBENKO 17 2 6 0 949
RUS G Sergei KOZKO 6 0 0 0 416
GEO DM Dato KVIRKVELIA 24 3 8 0 2.120
SRB A Savo MILOSEVIC 16 3 1 0 734
ECU M Christian NOBOA 21 6 4 0 1.564
RUS D Aleksandr OREKHOV 10 0 3 1 852
RUS D Aleksei POPOV 7 0 0 0 563
RUS M Aleksei REBKO 3 0 0 0 110
UKR MA Serhiy REBROV 24 5 5 0 1.634
RUS M Aleksandr RYAZANTSEV 22 1 5 0 1.571
RUS G Sergei RYZHIKOV 26 0 3 0 2.284
GEO D Lasha SALUKVADZE 15 0 0 0 882
RUS M Sergei SEMAK 27 5 7 0 2.404
RUS D Roman SHARONOV 26 1 7 0 2.295
RSA M MacBeth SIBAYA 25 0 5 0 2.039
CRO D Stjepan TOMAS 19 0 5 0 1.710

 
A Táctica

Rubin Kazan: táctica

 

Treinador Campeão

Kurban Berdyev
foto © AP

KURBAN BERDYEV

Técnico turquemenistanês, de 56 anos, cumpriu a sua oitava temporada à frente do Rubin Kazan, clube que conduziu pela primeira vez ao escalão principal em 2002. Idolatrado pelos adeptos do «Rubi», Kurban Berdyev, um homem introvertido, de rosto quase sempre fechado e profundamente religioso, o que o leva a seguir os jogos com um rosário enrolado nas mãos, conhecido pelo seu trabalho metódico e por ser um disciplinador, guiou o clube, contrariando todas as expectativas, ao título russo em 2008, o momento mais alto do seu historial. Adepto do 4x4x1x1, Berdyev trata-se de um técnico muito rigoroso do ponto de vista táctico, que coloca a força do colectivo à frente das individualidades. A exploração inteligente de ataques rápidos e contra-ataques ajuda também a explicar a trajectória do Rubin Kazan na Liga 2008, que concluiu com mais pontos conquistados extramuros (33) do que em casa (27).

 

Equipas-Tipo

[accordion title=”CSKA MOSCOVO“]

CSKA Moscovo[/accordion]

[accordion title=”DINAMO MOSCOVO“]

Dinamo Moscovo[/accordion]

[accordion title=”AMKAR PERM“]

Amkar Perm[/accordion]

[accordion title=”ZENIT SÃO PETERSBURGO“]

Zenit São Petersburgo[/accordion]

[accordion title=”KRYLYA SOVETOV SAMARA“]

Krylya Sovetov Samara[/accordion]

[accordion title=”LOKOMOTIV MOSCOVO“]

Lokomotiv Moscovo[/accordion]

[accordion title=”SPARTAK MOSCOVO“]

Spartak Moscovo[/accordion]

[accordion title=”FK MOSCOVO“]

FK Moscovo[/accordion]

[accordion title=”TEREK GROZNY“]

Terek Grozny[/accordion]

[accordion title=”SATURN MOSKOVSKAYA OBLAST“]

Saturn Moskovskaya Oblast[/accordion]

[accordion title=”SPARTAK NALCHIK“]

Spartak Nalchik[/accordion]

[accordion title=”TOM TOMSK“]

Tom Tomsk[/accordion]

[accordion title=”FK KHIMKI“]

FK Khimki[/accordion]

[accordion title=”SHINNIK YAROSLAVL“]

Shinnik Yaroslavl[/accordion]

[accordion title=”LUCH-ENERGIYA VLADIVOSTOK“]

Luch-Energiya Vladivostok[/accordion]

 

O «ONZE» DO ANO

Rússia 2008: onze do ano

 

Figuras da Época

Igor Akinfeev
foto © euro-football.ru

Igor Akinfeev (CSKA Moscovo)

Aleksandr Anyukov
foto © sovsport.ru

Aleksandr Anyukov (Zenit)

Denis Kolodin
foto © deniskolodin.ru

Denis Kolodin (Dynamo Moscovo)

Sergei Ignashevich
foto © Getty Images

Sergei Ignashevich (CSKA Moscovo)

Radek Sírl
foto © rusfootball.info

Radek Sírl (Zenit)

Sergei Semak
foto © Getty Images

Sergei Semak (Rubin Kazan)

Milos Krasic
foto © Getty Images

Milos Krasic (CSKA Moscovo)

Danny
foto © REUTERS

Danny (Dynamo Moscovo/Zenit)

Yuri Zhirkov
foto © google.ru

Yuri Zhirkov (CSKA Moscovo)

Andrey Arshavin
foto © google.ru

Andrey Arshavin (Zenit)

Vágner Love
foto © Nataliya Kondratenko

Vágner Love (CSKA Moscovo)

 
foto de abertura © Reuters


Rui Malheiro

 
analista de futebol, scout e autor. freelancer. escreveu Anuário do Futebol 2008/09 e Anuário do Futebol 2009/10.