Posted 20/01/2013 by Francisco Pinho Sousa in Colunas
 
 

Scouting: 10 jogadores a seguir na CAN 2013.

Scouting: 10 jogadores a seguir na CAN 2013
Scouting: 10 jogadores a seguir na CAN 2013

C

omeça mais uma edição da Taça das Nações Africanas, o que supõe, naturalmente, a mobilização de centenas de scouts de grandes clubes europeus até ao continente africano. Nesta edição, temos muitos craques a acompanhar, uns mais jovens, outros mais experientes, todos de grande qualidade. Porém, nesta análise, o Futebol Mundial vai cingir-se a jovens com potencial para explodir na CAN 2013 e escolher 10 jogadores de uma vasta lista. Do mago Belhanda a Sinkala, revelação de 2012, passando por jogadores já credenciados na Europa como Feghouli ou Wilfried Bony. 10 provas de como África tem muito para dar ao mundo do futebol.

 

 
  • Younès Belhanda

    Younès Belhanda (Marrocos/Montpellier). Talento, virtuosismo e magia. Características que este “10”, nascido em Avignon (França), possui. Aos 22 anos, é o elemento tecnicamente mais vistoso da selecção marroquina. Quando o seu pé direito pega na bola, o jogo entra noutra dimensão. Uma dimensão onde magia, bola e futebolista confluem, tornando o campo de futebol num sítio mais bonito. Se Marrocos chegar longe, seguramente ele terá quota-parte nessa proeza.

  • Wilfried Bony

    Wilfried Bony (Costa do Marfim/Vitesse). Será a par de Lacina Traoré a “next big thing” do futebol marfinense. Aos 24 anos, tem-se mostrado como um dos mais promissores “9” do futebol actual. Excelente sentido de baliza, é um predador do golo. Destro de qualidade, tem também no jogo aéreo uma das suas maiores qualidades. Esta temporada, leva 22 golos em 25 jogos em todas as competições. Melhor cartão de visita não há.

  • Sofiane Feghouli

    Sofiane Feghouli (Argélia/Valência). Estreou-se pela selecção argelina há cerca de um ano, depois de ter passado pelas selecções jovens de França (onde nasceu e cresceu). Bola de Ouro argelino em 2012, Feghouli assume-se como o líder natural desta equipa. Médio-direito (embora possa jogar em todas as posições do meio-campo), habitual titular do Valência, prefere jogar no centro, embora tenha feito essa adaptação ao flanco na perfeição. Jogador de toque curto, criativo e de excelente controlo de bola, tende a movimentar-se de fora para dentro, procurando igualmente aparecer em zonas mais ofensivas (é rápido e capaz de dar profundidade). Ajuda também a defender. Um jogador completo que, aos 23 anos, procura dar-se a conhecer ao continente africano.

  • Youssef Msakni

    Youssef Msakni (Tunísia/Lekhwiya SC). Tunisino de 22 anos que promete muito. Bastante técnico, joga bem na segunda linha de meio-campo. Excelente a abrir jogo entre-linhas, com boa visão de jogo e considerável capacidade de passe. Nascido e criado no Stade Tunisien, revelou-se no Esperance Tunis, onde o descobri, há um par de anos, em jogos da Liga dos Campeões africanos. Transferiu-se recentemente para o Qatar. Sinceramente via-o já com potencial para triunfar numa equipa média de uma grande liga europeia. Quem sabe se não estará próximo.

  • Aymen Abdennour

    Aymen Abdennour (Tunísia/Toulouse). Pode ser uma das boas revelações ao nível de defesas-centrais nesta CAN. Aos 23 anos, afirma-se como o líder da defesa do Toulouse, mostrando características próprias de um bom central moderno. Relativamente alto (1,87m), tem bom jogo aéreo, usando também o porte físico para ganhar as disputas de bola. É forte em antecipação, tem técnica e até é capaz de sair a jogar. A isto se junta uma interessante capacidade de passe, seja curto ou mais longo. Um dos centrais mais promissores da Ligue 1, procura agora ganhar estatuto ao nível internacional.

  • Ahmed Musa

    Ahmed Musa (Nigéria/CSKA Moscovo). Uma das grandes promessas desta CAN mora na selecção nigeriana. Falo-vos de Ahmed Musa, completo avançado do CSKA Moscovo. Leva já 8 golos em 18 jogos no exigente campeonato russo. Joga preferencialmente na direita do ataque, embora possa desempenhar todas as outras posições. Muito rápido e com grande capacidade de acelerar nos momentos decisivos, mostra também qualidades ao nível técnico, livrando-se dos adversários com grande “pinta”. Joga bem de fora para dentro, mas também ocupa bem os espaços interiores. Finaliza e assiste, preferencialmente, de pé direito. 20 anos ainda, um diamante por lapidar e para seguir com grande atenção nesta CAN 2013.

  • Christian Atsu

    Christian Atsu (Gana/FC Porto). Extremo do FC Porto, procura nesta CAN a afirmação definitiva dentro do “onze” do Gana. Não será fácil se bem que a concorrência esteja reduzida, sobretudo por via das ausências dos irmãos Ayew. Tecnicista, com grande capacidade de aceleração para ir cruzar à linha, é um jogador que pode virar, sozinho, o jogo de pernas para o ar. Tem 21 anos e muito futebol para dar.

  • Thulani Serero

    Thulani Serero (África do Sul/Ajax). Médio tecnicista, promete ser um dos craques da equipa da casa. Não tem jogado muito esta época na Eredivisie (4 jogos, 238 minutos) mas já leva 3 golos. Acredito que pode explodir nesta competição. É rápido, aparece bem na área a finalizar e consegue criar boas jogadas individuais. Espera-se muito dele, de facto. Mas os números desta época são para desconfiar.

  • Nathan Sinkala

    Nathan Sinkala (Zâmbia/TP Mazembe). O homem que secou Yaya Touré e Zokora na final do ano passado. Tem 22 anos e continua no TP Mazembe, apesar de ter sido uma das revelações, em 2012, da Taça de África das Nações. Maduro, trabalha muito bem tanto defensiva como ofensivamente. Forte nas marcações, deverá ser o elemento mais recuado do meio-campo. Pode também jogar como central. Poderia ter destacado outra promessa do ano passado: o central Sunzu. Mas optei por Sinkala: uma das provas de que a Zâmbia pode acreditar numa boa CAN está aqui.

  • Abdelaziz Barrada

    Abdelaziz Barrada (Marrocos/Getafe). Aos 23 anos, encontrou o seu habitat ideal nos espanhóis do Getafe. Diria que o próximo passo será para um clube maior, pelo menos tendo em conta a época que está a realizar. Médio-centro ofensivo, embora possa jogar na ala também, é um jogador de fino recorte técnico, bom pé direito, seja a assistir ou a finalizar. Não tem um registo brilhante de golos e assistências (3 golos e 3 assistência em 16 jogos em La Liga) mas é importante vê-lo jogar por inteiro para perceber a importância na construção de jogo do Getafe. Veremos qual será a posição na equipa marroquina. Creio que jogará adiantado no meio-campo, entrando em disputa com o já citado Belhanda. Veremos se serão compatíveis no mesmo «onze».

 


 
foto de abertura © football dribble

fotografias © i got cider in my ear; afriqueencouleur; sofoot.com; mtnfootball.com; skysports.com; Dmitry Korotayev/Getty Images Europe; Lusa; injuryleague.com; Congo News Agency; Stanley Chou/Getty Images Europe.


Francisco Pinho Sousa